Nubank capta US$ 650 milhões e vai investir em dois países que não são o Brasil; saiba mais

Nubank capta US$ 650 milhões e vai investir em dois países que não são o Brasil. A captação foi feita por meio de uma linha de crédito.

A fintech anunciou na última segunda-feira (11) que investirá recursos captados em suas operações na Colômbia e no México, nos dois países o banco digital atua como “Nu”.

Captação de recursos 

 A captação de US$ 650 milhões é proveniente de uma linha de crédito de três anos, tendo sido financiada por Morgan Stanley, Citi, Goldman Sachs e HSBC, todas instituições assinantes do IPO Nubank.

De acordo com o CEO global e cofundador do Nubank, David Vélez, em postagem feita no blog da empresa, o banco pretende alcançar ainda mais pessoas e possibilitar uma maior inclusão financeira. “Estamos redobrando nosso compromisso no México e Colômbia para continuar crescendo e gerando impacto local positivo por meio da inclusão financeira de milhões de latino-americanos”, conta Vélez.

Há cerca de um ano, em sua primeira captação para investir em mercados além do brasileiro, o Nubank obteve US$ 135 milhões para realizar operação em terras mexicanas. Dessa vez o banco retorna com novos objetivos traçados.

O banco digital tem como intuito a aplicação dos recursos em três setores, sendo eles a atrair os melhores talentos das regiões; desenvolvimento de tecnologia e inovação de produtos; e o crescimento da base de clientes.

Nubank e a expansão em solo latino 

A fintech brasileira foi fundada no ano de 2013, e esperou se consolidar no mercado para iniciar operação no México em 2019, e na Colômbia em 2020.

Atualmente, no México o banco já está entre os maiores emissores de cartão de crédito do país, além disso fechou o ano de 2021 com 1,4 milhão de clientes. Na Colômbia o banco alcançou a marca de 114 mil clientes em menos de um ano de operação.

Resultados da fintech em 2021

A base de clientes em 2021 chegou a marca de 53,9 milhões de clientes, uma alta de 61,9% no ano. Ao final de 2021, o Nubank teve um prejuízo de US$ 165,3 milhões, o número indica uma melhora na comparação anual de 3,6%. 

Na métrica ajustada o lucro líquido da fintech foi de US$ 6,6 milhões.  Os números indicam ainda mais que o dobro da receita ano contra ano. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.