XP prevê que a bolsa de valores fechará o ano em alta; confira

A XP Investimentos aumentou o preço-alvo do Ibovespa, índice da bolsa de valores, para 130 mil pontos. Anteriormente, a corretora previa que o índice encerraria o ano aos 123 mil pontos. Ou seja, mesmo com o aumento de 14,7% no primeiro trimestre, os analistas ainda acreditam que o ciclo deve continuar.

XP prevê que a bolsa de valores fechará o ano em alta; confira
XP prevê que a bolsa de valores fechará o ano em alta; confira (Imagem: Montagem/FDR)

Segundo Fernando Ferreira, Jennie Li e Rebecca Nossig, o fluxo estrangeiro para o Brasil deve seguir forte. A equipe de research da XP alegam que as ações ligadas à economia local exibirão, de fato, trajetória de retomada.

Os analistas possuem visão positiva para a B3 por conta de:

  • falta de alternativas sólidas entre outros grandes mercados emergentes;
  • forte exposição a bancos e commodities da bolsa brasileira;
  • valuation barato; e
  • real mais forte em relação ao dólar

Além disso, a corretora indica que o grande nível das taxas de juros locais vem atuando como amortecedor para a moeda brasileira. Com isso, existe melhora no retorno em dólares para os investidores estrangeiros.

Ao considerar este panorama, os analistas projetam que os fluxos externos sigam nos próximos meses. Segundo eles, a questão é se os setores da bolsa de valores aproveitarão o panorama positivo.

Diferença na performance entre os setores da bolsa de valores

A XP destaca que, por um lado, os setores de commodities e bancos valorizaram mais de 20,1% no acumulado anual. Já os demais setores aumentaram somente 6,7%. As Small Caps também apresentam performance mais fraca, com alta de 6,7%.

Apesar disso, a equipe afirma que essa grande discrepância passou a diminuiu recentemente.

“E a questão principal a se discutir é: está na hora de rotacionar para os setores domésticos? Acreditamos que um sinal claro de um pico de inflação no Brasil e taxas de juros mais baixas à frente são os principais catalisadores para que essa rotação continue a acontecer”, declaram.

Inversão da curva de juros dos EUA não deve preocupar investidor

Os analistas da XP ainda informam que a inversão da curva de juros norte-americana não deve preocupar o investidor.

Eles alegam que a diferença entre o rendimento do Tesouro de 10 anos e o rendimento de 2 anos chegou ao menor nível desde o começo da pandemia de coronavírus. Os especialistas afirmam que toda a recessão nos Estados Unidos foi precedida por uma inversão na curva de juros.

No entanto, a equipe entende que não é momento de entrar em pânico. Isso porque “o mercado geralmente ainda tem um bom desempenho logo após uma inversão de curva, e as recessões não começaram em menos de 12 meses após essas inversões”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.