Banco Central adia operações envolvendo o Pix por conta da greve; entenda

O Banco Central resolveu adiar o início da remuneração de instituições financeiras por recursos parados nas chamadas contas de pagamento instantâneos, ou contas PI, que reúnem transações do PIX, alegando riscos ligados a greve da autarquia. 

A previsão era que esta remuneração, calculada utilizando como base a taxa Selic, começasse a ser para hoje, 31. 

“Os servidores do BC encontram-se em paralisações parciais diárias e entrarão em greve a partir de primeiro de abril, o que prejudica o desempenho de vários processos da autarquia”, afirmou Bruno Serra, diretor de Política Monetária da autarquia, em voto que embasou a decisão da diretoria do Banco Central, na última quarta-feira, 29.

Serra disse no documento que, como forma de preservar a segurança dos sistemas e a continuidade das atividades essenciais, ele considerou oportuno que as remunerações para as instituições não começasse neste momento. 

Ele afirmou que os dispositivos que liberam a remuneração, e que agora foram revogados, serão propostos novamente quando as questões apontadas estiverem resolvidas.

A ANBCB (Associação Nacional dos Analistas do Banco Central do Brasil) afirmou que o prejuízo que os bancos terão com este adiamento é estimado em R$2 milhões ao dia.

PIX supera o uso de cartões

O PIX é um sucesso desde seu lançamento em novembro de 2020 e agora a solução de pagamentos do Banco Central atingiu um novo marco. No quarto trimestre de 2021, o número de transações via PIX superou a quantidade de movimentações com cartões de crédito ou débito no Brasil.

Esta foi a primeira vez que o PIX liderou o ranking dos instrumentos de pagamento mais usados no país. A maior parcela de transações ainda é composta por transferências entre pessoas físicas, porém os números sinalizam uma grande adesão à modalidade.

Na visão de especialistas, o PIX deve permanecer em sua trajetória de crescimento, porém, existem fatores relacionados a segurança e tecnologia que podem limitar este aumento.

De acordo com os últimos dados revelados pelo Banco Central, as transações por meio  do PIX totalizaram 3,89 bilhões nos últimos três meses do último ano, um crescimento de 34% em comparação com trimestre anterior.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.