Nova onda de Covid-19 na China faz ações da Petrobras caírem; saiba mais

Nesta segunda-feira (28), ações da Petrobras recuaram mais de 2%. No fechamento, as ações ordinárias (PETR3) caíram 2,97%, a R$ 33,96. Já as preferenciais (PETR4) desvalorizaram 2,41%, a R$ 31,52. A nova onda de covid-19 na China e questão política afetaram os papéis da estatal.

Nova onda de Covid-19 na China faz ações da Petrobras caírem; saiba mais
Nova onda de Covid-19 na China faz ações da Petrobras caírem; saiba mais (Imagem: Montagem/FDR)

O mercado vem repercutindo o maior lockdown na China desde o começo da pandemia de coronavírus, em 2020. Este cenário tem feito com que o preço do petróleo recuasse — devido à possível menor demanda por combustível.

Nesta segunda-feira, o contrato futuro do tipo Brent, referência mundial, encerrou em recuo de quase 7%. Isso aconteceu em meio à preocupação de que o isolamento na China afete a demanda mundial por energia.

Além deste fator, cabe destacar que os valores das commodities vêm apresentando volatilidade desde o começo da guerra entre Rússia e Ucrânia.

Em relatório, o estrategista global do Rabobank, Michael Every, informa que os investidores devem seguir observando grandes variações no mercado. Ele argumenta que o lockdown recente na China é economicamente sério o suficiente para justificar o recuo do Brent.

Apesar disso, Every ressalta que ninguém descarta que os valores do petróleo possam aumentar novamente.

Questão política também afeta ações da Petrobras

Ao InfoMoney, o especialista em investimento da Invest Consultoria, Juan Espinhel, afirma que — além da preocupação sobre o impacto na demanda por petróleo depois do anúncio de novos lockdowns na China — as cotações da estatal na Bolsa de Valores também foram impactadas pela questão política.

Isso acontece por conta de comentários do presidente Bolsonaro e o ex-presidente Lula sobre a Petrobras. Sobre Lula, o especialista ressalta que o petista sinalizou, no final de semana que mudará a política de preços da Petrobras caso seja eleito.

Nesta segunda, o mercado reagiu após Bolsonaro decidir retirar Joaquim Silva e Luna da presidência da Petrobras. No lugar do general, foi indicado o economista Adriano Pires.

Com a mudança recente, Silva e Luna não conseguiu ficar à frente da estatal por um ano. O general assumiu a presidência em abril do ano passado. Bolsonaro decidir mudar a direção da companhia devido à insatisfação com a alta de valores dos combustíveis.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.