Com SELIC a 11,75%, investir no crédito privado imobiliário vale a pena?

Reunidos pela segunda vez em 2022, o Comitê de Política Monetário (COPOM) do Banco Central (BC) confirmou o segundo aumento consecutivo da Selic nesta quarta-feira, 16, em 2022. Conforme já esperado, a taxa básica de juros agora passa de 10,75% para 11,75% ao ano.

Embora seja o maior patamar desde fevereiro de 2017, quando o Comitê baixou a SELIC de 13% para 12,25%, a taxa básica de juros deve continuar subindo ao longo de 2022, conforme apontam especialistas.

Investimentos com nova elevação da Selic

Mesmo que o novo aumento da Selic deixe ainda mais atrativo os investimentos em renda fixa como CDI, Poupança, Fundo de DI e Tesouro Direto, o Crédito Privado do ramo imobiliário, por meio do P2P Lending, permanece como a opção mais vantajosa e com maior rentabilidade para os investidores de renda fixa.

Como forma de comprovar as vantagens do Crédito Privado imobiliário frente às demais opções de investimentos em renda fixa, o economista da CapRate, Roberto Zanchi, separou dois cenários de investimentos: o primeiro a partir de R$ 1 mil e o outro a partir de R$ 15 mil. Ambos foram calculados com prazo de resgate de 24 meses.

Investindo R$1.000

No primeiro cenário simulado pela economista, em que leva-se em conta investimento de R$ 1 mil, é possível de se obter os seguintes rendimentos:

Crédito Privado (P2P Lending Imobiliário – CapRate): R$ 368,90;

Poupança: R$ 150,69;

CDB 90% do CDI: R$ 186,19;

CDB 110% do CDI: R$ 229,72;

Fundo de DI: R$ 198,53;

Tesouro Selic: R$ 204,12;

Investindo R$ 15 mil

Já no segundo cenário simulado pelo economista, em que leva-se em conta investimento de R$ 15 mil e prazo de 24 meses para o retorno, é possível de se obter os seguintes rendimentos:

Crédito Privado (P2P Lending Imobiliário – CapRate): R$ 5.533,49;

Poupança: R$ 2.260,28;

CDB 90% do CDI: R$ 3.066,31;

CDB 110% do CDI: R$ 3.786,41;

Fundo de DI: R$ 3.283,56;

Tesouro Selic: R$ 3.368,12;

Para Paulo Deitos, cofundador da CapRate – plataforma peer-to-peer lending (P2P) do ramo imobiliário (Crédito Privado) e a primeira do segmento a atuar como Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP) autorizada e regulamentada pelo Banco Central (BC) no país -, os números dos rendimentos proporcionado pelo crédito privado por meio do peer-to-peer lending imobiliário não deixam dúvidas que a modalidade é a opção mais vantajosa para os que buscam opções de renda fixa.

“Quando avaliarmos os números dentro de um mesmo prazo, o P2P Lending imobiliário continua se destacando e se reafirmando como a melhor opção para os investidores”, finaliza Deitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Victor Barboza
Editor-chefe do portal de notícias FDR. É responsável por toda a apuração e compartilhamento de informações, sempre presando pela qualidade e independências das notícias veiculadas. Especialista em finanças. Possui MBA em Gestão de Negócios pela USP e Graduação em Gestão Financeira pela Estácio. Possui especializações e trabalhos acadêmicos nas áreas de educação financeira, investimentos, fintechs, gestão empresarial e psicologia econômica. É fundador da GFCriativa e Co-Fundador da Fincatch. Trabalhou com gestão financeira nas startups Tendere e Strategy Manager.