Novo RG digital é obrigatório? Saiba como funciona e o que acontece com o RG de papel

Novo RG já pode ser solicitado. Nas últimas semanas, o governo federal informou que está digitalizando as carteiras de identidade. A população agora terá acesso ao documento por aplicativo, sendo necessário requerer uma nova via. Entenda os detalhes, abaixo.

O novo RG já está disponível para solicitação. Os cidadãos precisam entrar em contato com o órgão emissor de seu estado para requerer a versão digital. Quem está com o modelo em papel, ainda tem validade por mais 10 anos e não é obrigado a fazer a transição nesse momento.

Quem deve fazer o RG digital?

A obrigatoriedade só é determinada para quem vai dar entrada no documento agora. Ou seja, se você não tem o RG ou vai solicitar uma nova via, já receberá o modelo virtual. Porém, os demais, com o papel em mãos, podem permanecer utilizando.

Como fazer o novo documento?

A nova solicitação precisa ser feita na Secretaria de Segurança Pública do seu estado. Em Pernambuco, por exemplo, a população pode recorrer ao Expresso Cidadão para dar entrada no pedido.

Basta apresentar o número do CPF ou a certidão de nascimento. O serviço já está disponível e seu prazo de validade varia de acordo com cada região.

Passo a passo para ter o novo RG

De acordo com o governo, as etapas de solicitação do novo RG acontecem da seguinte forma:

  • Passo 1: recolher as impressões digitais dos brasileiros que serão inseridos na BDCN (Base de Dados de Identificação Civil Nacional).
  • Passo 2: Após cadastramento biométrico o cidadão deverá baixar o aplicativo DNI (Documento Nacional de Identidade), para realizar um pré-cadastro (app ainda não disponível).
  • Passo 3: Após o pré-cadastro a operação será finalizada em um ponto de atendimento físico ou virtual das secretarias de Segurança Pública.

Principais informações do novo RG

  • Número usado para o registro do novo documento será o do CPF;
  • A autenticidade poderá ser checada por QR code, inclusive ‘offline’, sendo assim, apenas o CPF será considerado;
  • O RG não substitui o passaporte;
  • O novo documento poderá ser considerado apenas em viagens internacionais a países do Mercosul, a mudança é para facilitar a verificação da validade do documento;
  • A população também terá acesso à carteira de identidade digital pelo Gov.br;
  • Quando for emitida uma carteira de identidade em uma unidade da federação diferente daquela onde foi feita a primeira, ela passa a ser considerada segunda via;
  • O documento contará com o código MRZ, o mesmo emitido em passaportes;
  • Além disso, o cidadão poderá optar por incluir informações de saúde em seu documento no momento da emissão como o grupo sanguíneo, se é doador de órgãos e informações sobre casos particulares de saúde, que possam contribuir para salvar a vida do cidadão.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.