G7 inclui criptomoedas nas sanções contra a Rússia

Na última sexta-feira (11), o G7, o grupo das nações mais industrializadas do planeta, comunicou que as crtiptomoedas fazem parte das sanções contra a Rússia. Os países que integram o grupo são os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha, Itália, França e Japão.

G7 inclui criptomoedas nas sanções contra a Rússia
G7 inclui criptomoedas nas sanções contra a Rússia (Imagem: Montagem/FDR)

O comunicado foi realizado de forma conjunta com a Casa Branca dos Estados Unidos. Pela primeira vez, as criptomoedas integraram as sensações. Existe a preocupação de que o governo e bilionários russos aproveitem as moedas digitais para evitar reflexos financeiros.

Nenhum país consegue impedir as transações com criptomoedas, por conta de a tecnologia ter caráter descentralizado. Apesar disso, as corretoras podem banir clientes russos — e suas movimentações. Após a Rússia invadir a Ucrânia, isso vem acontecendo nas últimas semanas.

O G7 tem observado atentamente a invasão na Ucrânia. O grupo considera a situação com uma guerra injustificada — que vem levando sofrimento para os ucranianos.

Comunicado do G7 sobre as sanções com criptomoedas contra a Rússia

Em nota conjunta, o G7 e a Casa Branca ressaltaram que seguem apoiando governo e a população da Ucrânia. O grupo denomina o caso como uma agressão militar de Vladimir Putin.

O G7 também solicita que o presidente russo envie ajuda humanitária aos necessitados — e permita que os civis deixem o país. Os países que integram o grupo asseguraram ajuda humanitária, médica e financeira.

O grupo publicou sete medidas que serão aplicadas contra a Rússia. As criptomoedas fazem parte da quarta punição contra o país, que deverá ter as lacunas de apoio financeiro fechadas.

“Nos comprometemos a tomar medidas para melhor detectar e interditar qualquer atividade ilícita, e impor custos aos atores russos que ilícitos que usam ativos digitais para elevar e transferir suas riquezas, segundo nossos processos nacionais”, informa o grupo.

Utilização de criptomoedas pode não ser aproveitada pelo governo da Rússia

Segundo especialistas consultados pela Forbes, mesmo com os esforços do G7, é improvável a utilização de criptomoedas pelo governo da Rússia — para evadir as sanções.

O diretor da Blockchain Association nos Estados Unidos, Jake Chervinsky, alegou que as atuais capacidades do mercado de criptomoedas são bastante pequenas, transparentes e caras para serem úteis para a economia da Rússia.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.