Criptomoedas precisam ser regulamentadas urgentemente; entenda

O presidente do Federal Reserve dos EUA (FED), Jerome Powell, reforçou na semana passada, sua posição sobre a crescente necessidade de regulação para criptomoedas. A afirmação foi dada em seu discurso ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara.

Segundo ele, os acontecimentos na Ucrânia “destacaram a necessidade por ação congressional nas finanças digitais, incluindo criptomoedas”.

“Temos essa indústria crescente que possui várias facetas e não está implementado o tipo de estrutura regulatória que precisa existir”, afirmou ele ao responder questões sobre como a Rússia pode estar utilizando as cripto para evadir sanções.

Mesmo que a Rússia esteja no foco neste momento, esta não é a primeira vez que o presidente do FED fala sobre o assunto de regulação de criptomoedas.

 Em junho do ano passado, o presidente do FED falou ao Congresso que stablecoins, os tokens cripto que são lastreados em moedas fiduciárias, como o dólar, por exemplo, precisam ser reguladas “de maneira parecida” a depósitos bancários e fundos mútuos de mercados monetários.

“Títulos comerciais são obrigações repentinas e de curto prazo de empresas e, em grande parte do tempo, são categorias de investimento e muito líquidas. Está tudo bem. Mas, durante crises financeiras recentes, o mercado apenas desaparece”, disse ele.

“É quando as pessoas vão querer seu dinheiro. É muito simples: são atividades econômicas muito similares a depósitos bancários e fundos de mercados monetários e precisam ser regulados de forma parecida”, completou.

Jerome disse ainda no inicio deste ano, que o FED iria divulgar em pouco tempo, um relatório a respeito de moedas digitais de banco central (ou CBDCs, na sigla em inglês) e criptomoedas.

Gary Gensler, o presidente da Comissão de Valores Mobiliários e de Câmbio dos EUA, em outro lugar da esfera regulatória dos EUA, disse diversas vezes sobre a necessidade de criação de regulações mais rígidas para as cripto.

Neste ano, ele fez um alerta de que as Finanças Descentralizadas (ou DeFi), as ferramentas que possibilitam a negociação não custodial de criptomoedas sem intermediários, poderiam “acabar mal” sem a presença de leis de proteção a consumidores aprimoradas.

Ele ja tinha dito anteriormente que a indústria DeFi pode estar cheia de valores mobiliários não registrados.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.