Inflação sobe 1% em fevereiro e tem alta acumualda de 10,54%

No último mês, de acordo com IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) a inflação oficial do Brasil subiu 1,01%, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O patamar atingido em fevereiro é o mais alto para o mês desde 2015, quando ficou em 1,22%.

No mês, em todos os grupos de produtos e serviços pesquisados, foram detectadas altas. A alta foi puxada pelo setor de educação, que cresceu 5,61%, com impacto de 0,31 ponto percentual. Na sequência, aparece o setor de alimentos e bebidas com aumento de 1,28% e impacto de 0,27 ponto percentual. Ambos os grupos responderam por quase 57% do IPCA de fevereiro.

Os dados ficaram dentro do intervalo de projeção dos analistas consultados pelo Estadão/Broadcast, que esperavam uma alta entre 0,85% e 1,14%, porém foi maior que a mediana, que era positiva em 0,94%.

No ano, a taxa acumulada pela inflação ficou em 1,56%. Em 12 meses, o resultado acumulado foi de 10,54%, ficando assim, dentro do que era esperado pelos analistas, que ficavam entre 10,36% a 10,69%, com mediana de 10,47%.

“Em fevereiro, são incorporados no IPCA os reajustes habitualmente praticados no início do ano letivo. Portanto esse foi o item que teve o maior impacto no mês, contribuindo com 0,31 ponto percentual. O outro grupo que pesou bastante no mês foi o de Alimentação e bebidas, que acelerou para 1,28% e contribuiu com 0,27 ponto percentual”, disse ao G1, o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov.

Inflação para os grupos pesquisados em fevereiro 

  • limentação e bebidas: 1,28%
  • Habitação: 0,54%
  • Artigos de residência: 1,76%
  • Vestuário: 0,88%
  • Transportes: 0,46%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,47%
  • Despesas pessoais: 0,64%
  • Educação: 5,61%
  • Comunicação: 0,29%

Expectativa para o ano 

Mesmo com a recente queda do dólar, os preços mais elevados das commodities diante do conflito na Ucrânia e o novo aumento nos combustíveis no país fazem pressão para uma situação inflacionária ainda preocupante. No último ano, a inflação oficial foi de 10,06%, registrando a maior alta desde 2015.

Em média, os analistas de mercado projetam que a inflação fechada deste ano está em 5,65%, porem, diversos analistas esperam um IPCA passando dos 6% no ano.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.