Bolsa de Valores: o que esperar das ações da Vivo (VIVT3) após aquisição da Oi e questões do 5G?

Por conta da aquisição da Oi Móvel e outorgas de leilão do 5G, a Vivo (VIVT3) assumiu compromissos financeiros bilionários. Apesar disso, a companhia não deve diminuir a remuneração aos acionistas (payout).

Bolsa de Valores: o que esperar das ações da Vivo (VIVT3) após aquisição da Oi e questões do 5G?
Bolsa de Valores: o que esperar das ações da Vivo (VIVT3) após aquisição da Oi e questões do 5G? (Imagem: Montagem/FDR)

Em entrevista ao InfoMoney, o CEO da Vivo, Christian Gebara, e o CFO, David Mlecon, asseguraram que a tele possui caixa suficiente para realizar os pagamentos.

Eles ainda declararam que a empresa tem condições de seguir investindo e desenvolvendo — manter os dividendos e manter a liderança no setor.

No final do ano passado, a base de clientes da Vivo chegou ao maior patamar histórico. Com relação ao futuro, a companhia deve investir para aumentar o market share em fibra óptica.

Para além da conectividade, a empresa aposta em novas soluções em tecnologia e serviços. Desse modo, será possível assegurar a fidelização de uma parcela cada vez maior do mercado.

A Vivo também planeja intensificar a presença no B2B Digital. Nesta frente, a empresa disponibiliza serviços de nuvem, cybersegurança, mensageria, IoT (Internet das Coisas) e soluções digitais.

No B2C, há o objetivo de conceder serviços digitais baseados em quatro pilares: Bem Estar, com o app de meditação ATA; Educação, em parceria com a Ânima; Entretenimento, em que obteve 1,2 milhão de assinaturas no fim de 2021; e o Vivo Money, direcionado ao crédito pessoal.

Vivo (VIVT3) enxerga oportunidades no 5G

A companhia também observa o 5G como uma oportunidade de desenvolvimento. A empresa aguarda a liberação de todas as frequências compradas no leilão da Anatel. Assim, será possível oferecer sinal aos clientes.

Segundo Gebara, o 5G proporcionará oportunidades relevantes. Ele informa que a companhia “será protagonista no desenvolvimento de serviços e soluções habilitadas para essa tecnologia”.

Perspectiva para as ações da Vivo (VIVT3)

Na última terça-feira (8), a XP iniciou a cobertura das ações da Vivo. A casa tem recomendação neutra para os papéis, com preço ao de R$ 57 para o final deste ano.

Como justificativa para a indicação neutra, a XP informa que o modelo ainda não incorpora a compra da Oi Móvel. A casa optou por esperar o fechamento da transação — que deve acontecer até maio —, e os sinais da companhia quanto à potencial sinergia.

Pelos cálculos da XP, a compra da Oi poderia somar até R$ 6 por ação ao preço-alvo. A casa destacar as características defensivas da Vivo, e sua forte geração de caixa — que se traduz em altos dividendos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.