Nem o 5G salvou: ações de telecomunicações não deslancharam em 2021

As companhias de telecomunicações tiveram um ano movimentado. A grande novidade para o setor foi o leilão do 5G, que aconteceu em novembro. Segundo o governo federal, o evento movimentou R$ 47,2 bilhões. Apesar disso, ainda houve ações de telecomunicações que não foram favorecidas pelo acontecimento.

publicidade
Nem o 5G salvou: ações de telecomunicações não deslancharam em 2021
Nem o 5G salvou: ações de telecomunicações não deslancharam em 2021 (Imagem: Montagem/FDR)

À Forbes, o economista e sócio da BRA, João Beck, declara que o cenário macroeconômico não foi positivo para os empreendimentos. Segundo ele, o setor de telecomunicações foi impactado pela inflação alta, redução da renda e fechamento de uma parte relevante da economia.

No acumulado deste ano até novembro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, considerado a inflação oficial do país, chega a 9,26%, segundo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

publicidade

Em 2021, o centro da meta de inflação é de 3,75% — com uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, neste ano, a inflação deve ficar acima do estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

O especialista da Valor Investimentos, Everton Medeiros, apontou, à Forbes, outro aspecto que prejudicou as companhias: a desorganização do setor de semicondutores. As dificuldades na oferta desses itens ainda impactaram fortemente as vendas de automóveis.

Contudo, em relação a 2020, o faturamento da área de telecomunicações foi 12% maior. A movimentação foi de R$ 43,9 bilhões. No ano passado, a quantia havia sido de R$ 39,1 bilhões.

Perspectiva das ações de telecomunicações em 2021

Dentre as empresas de telecomunicações negociadas na Bolsa de Valores, os papéis da Vivo (VIVT3) fecharam o ano com alta de 12,18%, a R$ 48,19.

Por outro lado, a Tim (TIMS3), que se destacou no leilão do 5G, apresentou redução de 7,26% neste ano. Ainda há outras estreantes na Bolsa, como Brisanet (BRIT3) e Unifique (FIQE3) que tiveram desempenhos negativos no ano.

Apesar disso, o especialista da Valor Investimentos entende que não é, necessariamente, um momento de venda dos papéis. Ele argumenta que o aumento da infraestrutura do setor de telefonia celular foi de 12%.

publicidade

Medeiros afirma que “as empresas do ramo podem ter cases interessantes, já que elas trabalham boa parte com mensalidade”. Isso torna mais fácil a previsibilidade de caixa da empresa. Além disso, ele declara que as companhias podem ser boas pagadoras de dividendos.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Segundo ele, quem procura ganhos em médio e longo prazo pode se favorecer dos valores descontados das ações das empresas.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.