FGTS: ferramenta ajuda no cálculo da correção

A correção do saldo depositado no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) tem sido aguardada há tempos pelos trabalhadores. A medida esteve na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF), com o propósito de revisar a taxa referencial (TR), medidor usado para calcular o benefício entre o período de 1999 a 2013, mas a Corte suspendeu o julgamento sem previsão de uma nova apreciação. 

FGTS: ferramenta ajuda no cálculo da correção
FGTS: ferramenta ajuda no cálculo da correção. (Imagem: FDR)

A TR aplicada pelo Banco Central (BC) está diretamente ligada ao FGTS, porém não condiz com o atual índice de inflação do país. Esta discrepância gera perdas expressivas para os trabalhadores brasileiros, motivo pelo qual a atualização da taxa é essencial. 

O tema tem repercutido na mídia desde que o STF suspendeu o julgamento, instigando nos trabalhadores a curiosidade sobre o direito ou não de requerer a revisão. Por isso, é importante compreender que, basicamente, todo o trabalhador com direito ao FGTS pode participar da ação. Para ter certeza, basta verificar o enquadramento em uma das seguintes categorias:

  • Trabalhadores Urbanos
  • Trabalhadores rurais;
  • Trabalhadores intermitentes (Lei nº 13.467/2017 – Reforma Trabalhista);
  • Trabalhadores temporários;
  • Trabalhadores avulsos;
  • Safreiros (operários rurais, que trabalham apenas no período de colheita);
  • Atletas profissionais (jogadores de futebol, vôlei, etc.);
  • Diretor não empregado poderá ser equiparado aos demais trabalhadores sujeitos ao regime do FGTS e;
  • Empregado doméstico.

Entenda o caso

Para entender melhor o caso é preciso explicar que o FGTS se trata de um fundo público gerenciado pela Caixa Econômica Federal (CEF). Basicamente, durante todo o período em que um trabalhador possui vínculo formal ativo junto a determinado estabelecimento, ele deve fazer uma contribuição na faixa de 8% sobre o salário bruto, quantia que é descontada diretamente da folha de pagamento mensal. 

Posteriormente, o trabalhador tem direito a obter o saldo presente na poupança do FGTS. Contudo, a retirada do valor é autorizada somente na circunstância de demissão sem justa causa, aposentadoria, doença ou compra da residência própria. 

Mesmo diante das restrições para aquisição do benefício, existe uma série de processos em trâmite que questionam a atual taxa referencial aplicada, e a denominam a caráter de inconstitucionalidade por não haver a correção monetária.

A decisão favorável à correção do FGTS resultará em efeitos retroativos que serão destinados diretamente ao bolso dos trabalhadores, fator que preocupa o STF devido ao impacto financeiro que terá nas contas públicas.

Por esta razão, somente os trabalhadores que já deram entrada em ações judiciais perante a correção do FGTS, mantêm o direito integral à análise do caso. Os demais que ainda não se mobilizaram, teriam direito ao saldo atualizado somente com base nos dados atuais. 

Simulador online

Com o objetivo de auxiliar esses trabalhadores  de alguma forma foi criada uma ferramenta online capaz de simular o valor que o cidadão teria direito a receber com a correção do FGTS. A LOIT FGTS é uma calculadora online desenvolvida exclusivamente para executar esta tarefa. 

Segundo a startup, milhões de trabalhadores brasileiros têm direito a receber quantias equivalentes a 66 salários mínimos, ressaltando que a quantia tende a aumentar de acordo com o tempo trabalhado.

Por isso, além de apenas oferecer apenas o cálculo da revisão, a LOIT FGTS também disponibiliza um kit que reúne uma série de documentos e procedimentos a caráter instrutivo em apoio à entrada dos pedidos na Justiça.

Quem tiver o interesse em fazer a simulação, basta que acessem o site: fgts.loitlegal.com.br. Logo na primeira página, o trabalhador irá visualizar um campo que solicita o número de telefone celular. Após fornecer este dado, ele receberá um SMS com um código de segurança que deve ser fornecido em campo específico no site, para prosseguir com o atendimento. 

Na página seguinte serão apresentadas várias opções que devem ser preenchidas por etapas. A primeira delas se refere aos dados pessoais para a elaboração de uma simples petição online, como nome, CPF, e-mail, endereço residencial, e-mail e estado civil. Após preencher todos os campos solicitados, ao final o trabalhador irá obter um resumo de como seria o processo judicial.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.