Qual será o preço da gasolina se a Petrobras fizer o repasse integral da alta do petróleo?

Por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia, o preço do petróleo internacional passou a aumentar. Entenda qual será o preço da gasolina se a Petrobras fizer o repasse integral da alta do petróleo, segundo cálculos da Fecombustíveis (Federação do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes), via Estadão.

Qual será o preço da gasolina se a Petrobras fizer o repasse integral da alta do petróleo?
Qual será o preço da gasolina se a Petrobras fizer o repasse integral da alta do petróleo? (Imagem: Montagem/FDR)

Diante de um possível embargo do Ocidente ao setor energético da Rússia, houve uma elevação considerável dos valores do petróleo. Neste domingo à noite (6), o valor do barril de Brent do Mar do Norte chegou a quase US$ 140.

Em meio a este cenário, caso a Petrobras decidisse levar em conta sua política de paridade de preços de importação, e repasse ao mercado brasileiro a variação dos preços dos combustíveis no mercado internacional, os valores nos postos estariam mais altos.

No entanto, o presidente Jair Bolsonaro tem procurado alternativas para evitar os repasses — sem causar grandes perdas para a Petrobras. Esse tópico tem causado divergências entre alas distintas do governo.

Por um lado, Bolsonaro tem se posicionado contra a política de preços da companhia. Esta prevê paridade com o mercado internacional. O Ministério de Minas e Energia tem preferência por subsídios.

A Petrobras, por sua vez, tem sido a favor de um formato parecido ao usado pelo governo Michel Temer ao longo da greve dos caminhoneiros, em 2018. A ideia da estatal seria de usar, temporariamente, recursos do Tesouro para compensar refinarias e importadoras pela venda de produtos mais baratos.

Qual será o preço da gasolina se a Petrobras fizer o repasse integral da alta do petróleo?

Caso a Petrobras decidisse repassar o aumento das cotações do petróleo, o preço médio da gasolina no Brasil aumentaria 12,7% nos postos. O valor do diesel, por sua vez, subiria 29,4%.

A estimativas da Fecombustíveis levam em conta os valores médios apurados na semana passada pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). No período, em média, a gasolina custava R$ 6,577 e R$ 5,668 por litro, respectivamente.

Com um aumento de 35% da gasolina pura nas refinarias para repassar as cotações internacionais, o preço médio do combustível passaria a R$ 7,409 por litro nos postos. A previsão considera que outros componentes do valor — impostos, etanol e margens — seguem os mesmos.

Sobre o diesel, seria de 51% o reajuste necessário nas refinarias. Com isso, o valor médio desse combustível chegaria a R$ 7,336 por litro nas bombas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.