XP lança carteira que automatiza investimentos em ações; saiba como funciona

Pontos-chave
  • A XP lançou uma ferramenta de carteira automatizada;
  • Os clientes vão conseguir investir de forma rápida e prática;
  • A intenção é unir inteligência artificial com os conhecimentos dos especialistas da empresa.

Na quarta-feira (23), a XP lançou uma ferramenta de carteira automatizada, para os clientes investirem de forma rápida e prática nos ativos recomendados pela equipe de renda variada da corretora.

A intenção é unir inteligência artificial com os conhecimentos dos especialistas da empresa. Assim, com essa ferramenta, o investidor não precisará operar manualmente no home broker para seguir as indicações da XP.

Assim, na prática, o robô irá efetuar o rebalanceamento do portfólio do cliente assim que os especialistas façam alguma alteração nas recomendações da carteira.

Para poder acessar o serviço, o cliente deve escolher junto com o seu assessor de investimento em uma ou mais carteiras recomendadas que melhor expressem o seu perfil e cenário de mercado.

Após o investidor sinalizar o valor que deseja aplicar. A Head da Mesa de Renda Variável, Beatriz Lino disse que a tecnologia da XP entrega a inteligência de execução e passa a rebalancear automaticamente seguindo a recomendação dos nossos experts

O valor mínimo investido é de  R$ 10 mil para alocar nas carteiras e não há pagamento de taxa de administração, mas sim uma taxa de corretagem sobre o valor financeiro negociado.

Os investidores recebem dividendos e tem a possibilidade de custódia remunerada, além da utilização dos ativos como margem.

Atualmente, XP conta com mais de 20 carteiras recomendadas, via assessoria de investimentos, sendo possível realizar uma seleção geral das melhores ações para criar uma posição no mercado de renda variável ou seguir alguma estratégia específica. Normalmente, essas carteiras são rebalanceadas no primeiro dia útil do mês.

Inteligência artificial

Esse anúncio segue em linha ao movimento verificado nos último anos que impulsionou o investimento automatizado no exterior.

No Brasil, essa prática ganhou força no ano passado. No mês de fevereiro de 2021, o banco Santander anunciou que o serviço eria estendido, que já estava disponível para 1.200 clientes, em fase de testes, desde o fim de 2020.

Assim, os investidores passaram a ter a possibilidade de contratar o rebalanceamento automático por meio do gerente da agência bancária ou do assessor de investimentos.

Já em março, o BTG lançou a carteira recomendada automatizada com opções focadas em ações; ativos de empresas menores (small caps); trimestral, com as recomendações de empresas distribuidoras de dividendos. O valor inicial para aplicações, no entanto, é maior: R$ 50 mil.

Levando em conta somente a rentabilidade acumulada pela carteira de Ações 10SIM, em dezembro de 2021, o desempenho foi de -17,1%, contra -14,4% do Ibovespa. No período desde outubro de 2009, contudo, a rentabilidade acumulada pela carteira é de +233,2%, contra +65,6% do Ibovespa.

Em alguns casos, o uso da ‘robotização’ é anterior aos produtos. A Warren, nasceu como uma solução automatizada de carteira sugerida de investimento e foi ampliando o portfólio de serviços na medida em que percebeu que os investidores, em especial aqueles com grandes cheques, gostam de se relacionar com humanos para investir.

Essa inteligência artificial é empregada para analisar relatórios e o desempenho de fundos quantitativos na Itaú Asset e, também no BTG.

As gestoras investem em algoritmos sofisticados para procurar, ler e consolidar informações sobre empresas, em balanços, comunicados, relatórios, notícias e até redes sociais para montarem suas carteiras de ações.

XP

A XP Investimentos foi fundada em 2001, em Porto Alegre a partir do desejo comum dos sócios Guilherme Benchimol e Marcelo Maisonnave de ajudar pequenos investidores e pessoas comuns a investirem no mercado de ações, democratizando esta prática no Brasil.

No início, a companhia enfrentou dificuldades devido ao momento econômico do país. 2002, segundo ano de atividade da XP Investimentos, foi negativo para o mercado de ações por conta da alta valorização do dólar. Com isso, o mercado de ações apresentou constantes quedas, o que dificultou a captação de clientes.

Em 2006, quando XP já faturava em torno de R$ 6 milhões, adquiriu as corretoras AmericaInvest e Manchester, e deixou de ser um escritório de agentes autônomos para ter a licença de operar como uma corretora.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.