CadÚnico: Perguntas e respostas sobre regras, consulta e inscrições no Cadastro Único

Pontos-chave
  • CadÚnico reque atualização anual;
  • Plataforma garante benefícios sociais;
  • Sem tetos podem fazer suas inscrições.

Governo reforça funcionamento de sua base de dados socias. Nos últimos meses, o ministério da cidadania vem aprovando uma série de abonos destinados a população vulnerável. Para ter acesso, no entanto, é preciso estar registrado no Cadastro Único. Abaixo, confira as principais perguntas sobre o sistema.

CadÚnico: Perguntas e respostas sobre regras, consulta e inscrições no Cadastro Único (Imagem: FDR)
CadÚnico: Perguntas e respostas sobre regras, consulta e inscrições no Cadastro Único (Imagem: FDR)

O Cadastro Único nada mais é do que a plataforma onde o governo registra todos os dados da população vulnerável. Ele funciona como uma base para o monitoramento e acompanhamento desse grupo, sendo possível elaborar e gerenciar novas políticas públicas sociais.

A inscrição no CadÚnico é gratuita e pode ser feita pela internet ou presencialmente. No entanto, o cidadão deve ficar atento ao público alvo e manter sua documentação atualizada. Outra questão importante é que a vinculação não garante obrigatoriamente a concessão de programas como o Auxílio Brasil.

Qual público o CadÚnico atende?

Famílias que:

Como funciona o cadastramento?

Para poder ser monitorado pelo governo é preciso:

Quais documentos são exigidos?

Como receber R$ 400 no Auxílio Brasil? (Regras e Passo a Passo)

Como saber se estou inscrito?

Para consultar via site

Para consultar via aplicativo

Para consultar via Telefone

Quem desejar consultar por telefone deve ligar para o 0800 707 2003, selecionando a opção 5. A ligação é gratuita deve ser feita nos seguintes horários:

Quais benefícios posso receber pelo CadÚnico?

Quando é preciso atualizar o cadastro no CadÚnico?

A atualização deve ser feita a cada dois anos, no entanto, havendo mudanças nos dados abaixo é preciso sinalizar ao governo:

Eduarda Andrade
Mestre em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Atualmente se divide entre a edição do Portal FDR e a sala de aula. - Como jornalista, trabalha com foco na produção e edição de notícias relacionadas às políticas públicas sociais. Começou no FDR há três anos, ainda durante a graduação, no papel de redatora. Com o passar dos anos, foi se qualificando de modo que chegasse à edição. Atualmente é também responsável pela produção de entrevistas exclusivas que objetivam esclarecer dúvidas sobre direitos e benefícios do povo brasileiro. - Além do FDR, já trabalhou como coordenadora em assessoria de comunicação e também como assessora. Na sua cartela de clientes estavam marcas como o Grupo Pão de Açúcar, Assaí, Heineken, Colégio Motivo, shoppings da Região Metropolitana do Recife, entre outros. Possuí experiência em assessoria pública, sendo estagiária da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado de Pernambuco durante um ano. Foi repórter do jornal Diário de Pernambuco e passou por demais estágios trabalhando com redes sociais, cobertura de eventos e mais. - Na universidade, desenvolve pesquisas conectadas às temáticas sociais. No mestrado, trabalhou com a Análise Crítica do Discurso observando o funcionamento do parque urbano tecnológico Porto Digital enquanto uma política pública social no Bairro do Recife (PE). Atualmente compõe o corpo docente da Faculdade Santa Helena e dedica-se aos estudos da ACD juntamente com o grupo Center Of Discourse, fundado pelo professor Teun Van Dijk.
Sair da versão mobile