Apresentar atestado falso pode levar à demissão na empresa?

Temporadas de feriado podem aumentar o número de pessoas que apresentam atestado médico falto para conseguir folgas no trabalho. Essa prática é considerada crime, mas, o funcionário pode ter sua demissão na empresa? Saiba agora!

Feriados prolongados podem aumentar a ocorrência de atestados médicos em empresas.

No entanto, infelizmente, essa é uma prática que acontece no Brasil durante todo o ano.

Atestado falso e demissão

Você que é emprego deve ficar atento à entrega de atestados médicos em feriados como esses e até mesmo nos demais dias do ano.

Quando um funcionário entrega um atestado médico perto de datas festivas as empresas tendem a olhar ele com mais cuidado.

A gerente do departamento pessoal da empresa Almeida Kruger, Monica Mahuad, já recebeu um documento suspeito justamente nesse período.

 “Quando recebemos o documento nesta época do ano, sempre nos debruçamos com afinco em cima deles e, infelizmente, em uma dessas oportunidades vimos que o atestado era falso, já que a irmã de uma pessoa trabalhava na clínica e forneceu o documento. Sempre olhamos os pequenos detalhes, uma mínima rasura que seja já é motivo de desconfiança. Outro ponto que também nos auxilia atualmente é a tecnologia. Geralmente recebemos a foto do atestado e assim fica ainda mais fácil, já que temos a opção de aumentar a imagem”, explicou.

É importante lembrar que a apresentação do atestado médico é o direito dos funcionários.

Desde que eles comprovem de fato a necessidade de ser afastado do trabalho e não como forma de tirar uns dias de “folga”.

A apresentação do atestado médico garante ao funcionário que os dias em que ele faltou ao trabalho não serão descontados do seu salário.

 “Ao apresentar um documento falso, o empregado estará sujeito às sanções legais decorrentes da sua atitude, inclusive, ser demitido por justa causa”, destaca a advogada Nicole Fanucchi.

Sendo assim, um funcionário pode sim ser demitido caso seja comprovado que o atestado médico entregue é falso.

“Vale lembrar que a emissão do documento falso pelo médico é condenada por meio do Código de Ética do Conselho Federal de Medicina. Ou seja, não é porque a pessoa é amiga do profissional que este pode “lhe dar” um atestado. As sanções da lei neste caso recaem também sobre o profissional da saúde”, finalizou o médico coordenador do Programa Priori, da Paraná Clínicas, empresa do Grupo SulAmérica, Eduardo Senter.

Para saber mais sobre vagas de emprego, vestibulares e cursos, acompanhe a editoria de Carreiras do FDR.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jamille Novaes
Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora da editoria de carreiras do portal FDR. Jamille utiliza sua experiência na área da educação para cobrir notícias sobre cursos, vestibulares, empregos e concursos.