Rússia x Ucrânia: China vai impor sanções econômicas?

Em meio à guerra Rússia x Ucrânia, a imposição de algumas sanções têm sido debatidas por vários países. Porém, segundo informações do Ministério de Relações Exteriores, a China decidiu se posicionar contra todas as sanções consideradas unilaterais e ilegais à Rússia.

De acordo com o porta-voz do Governo da China, a soberania da Ucrânia é reconhecida. Ainda assim, os chineses não vêm o ataque Rússia x Ucrânia como uma invasão.

O entendimento é de que estas sanções não seriam a maneira mais adequada para tentar pôr fim ao conflito entre os países. Na verdade, a China acredita que as medidas poderiam ter um efeito contrário e gerar ainda mais problemas.

Neste sentido, o Ministério das Relações Exteriores da China, rebateu críticas recentes feitas pela Austrália e pelos Estados Unidos da América (EUA) pela decisão de não condenar o ataque Rússia x Ucrânia. A pasta também afirmou que o país irá manter normalmente tanto o comércio quanto a cooperação junto à Rússia, visando o “mútuo respeito e benefício”.

A crise entre Rússia x Ucrânia tem sido analisada pelo Governo de Taiwan como o reflexo de uma promessa da Ucrânia em se unir aos ditos ‘países democráticos’ perante as sanções à Rússia. Logo, o primeiro-ministro de Taiwan, Su Tseng-chang, declarou condenar “duramente tal ato de invasão e nos uniremos aos países democráticos para impor sanções conjuntamente”.

Em meio a este cenário, é importante informar que os conflitos não se limitam somente à Rússia x Ucrânia, pois a China reivindica Taiwan como uma parte de seu próprio território. O resultado mais recente foi o Governo de Taiwan emitir um alerta sobre nove aeronaves chinesas sobrevoando o seu espaço aéreo nesta última quinta-feira, 24.

Vale mencionar que esta ação chinesa não é novidade, nem mesmo incomum, pois tem sido intensificada nos últimos dois anos. Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores disse que a ilha é crucial para o desenvolvimento e manutenção da cadeia global de fornecimento de semicondutores.

Portanto, a pasta “coordenará com os Estados Unidos e outros países as medidas apropriadas para libertar a Ucrânia dos horrores da guerra”.

Acredita-se que a ilha autônoma de Taiwan pode ser uma peça chave caso as sanções econômicas à Rússia venham à tona, uma vez que abriga a maior fabricante de chips terceirizada do mundo, a TSMC.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.