Como o mercado reagiria caso houvesse uma nova guerra?

Recentemente, a tensão entre Rússia e Ucrânia vem causando preocupação no mercado global. Apesar dos russos terem recuado da fronteira ucraniana, o risco ainda existe. Nessa hipótese, entenda como o mercado reagiria caso houvesse uma nova guerra.

Como o mercado reagiria caso houvesse uma nova guerra

Segundo especialistas consultados pelo InfoMoney, existem diferentes cenários para a possibilidade de guerra. Primeiramente, a repercussão de uma guerra no mercado dependeria da extensão. Isso também dependeria de como os Estados Unidos e países da Europa — aliados da Ucrânia — responderiam à Rússia.

Por se tratar de uma guerra geograficamente isolada, com retaliações somente comerciais aos russos, os impactos seriam menores do que um retorno bélico.

Segundo Anderson Meneses, da Alkin Research, os EUA se posicionam a favor da Ucrânia. A depender do posicionamento do Brasil no conflito, ele declara que poderíamos sofrer sanções. Neste caso, poderia haver uma nova guerra comercial e pressão para empresas exportadoras locais.

Reflexos do dólar e commodities

Há algumas semanas, o setor de commodities vem repercutindo os conflitos. A Rússia é um dos principais produtores de petróleo global. O país tem parte em, ao menos, um terço do abastecimento de gás natural na Europa.

A economista da CM Capital, Ariane Benedito, explica que a Rússia, ao tomar posse da Ucrânia, tem o objetivo de ser competitiva em comparação ao Oriente Médio.

Após uma mensagem do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, sobre a possibilidade de um ataque da Rússia já nesta quarta-feira (16), os valores do petróleo, nesta segunda-feira (14), no mercado internacional atingiram o maior patamar desde julho de 2014.

Diante da valorização da commodity no mercado internacional, ações como Petrobras tendem a ser favorecidas.

Cabe ressaltar que o Brasil ainda importa derivados do petróleo. No caso dessas companhias, a conta pode piorar em caso de guerra. O motivo é que o dólar também tende a se valorizar neste cenário. O dólar mais alto pode favorecer ações de empresas exportadoras.

A junção de commodities e dólar elevados ainda tende a impactar outros setores da bolsa — e a economia, em geral.

Possível cenário de guerra pode potencializar inflação

Atualmente, o mundo vive um cenário de crescimento da inflação. Em caso de uma guerra, analistas apurados pelo InfoMoney alegam que poderia haver um estouro inflacionário.

Os Estados Unidos poderiam entrar em um ciclo mais forte de aperto monetário. O Banco Central brasileiro poderia evitar os planos de diminuir o ciclo de aumento dos juros.

Tanto a Rússia quanto a Ucrânia são importantes players globais de triga. Na hipótese de guerra, os valores dos alimentos poderiam subir.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.