Tensões entre Rússia e Ucrânia estão impactando mercado; confira investimentos afetados

Pontos-chave
  • O mercado demonstra preocupação com uma possível invasão russa à Ucrânia;
  • Presidente da Rússia declarou que o país não quer uma guerra na Europa;
  • Tom mais ameno acalmou mercado de investimentos mundial.

Tensões entre Rússia e Ucrânia vêm afetando os investimentos. Diante da preocupação de uma possível invasão na Ucrânia, o mercado tem demonstrado temor nos últimos dias. Apesar disso, alívio recente das tensões acalma mercado global.

A ação militar da Rússia na fronteira da Ucrânia vem balançando o mercado. Neste domingo (13), o conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, alegou que um ataque russo poderia começar “a qualquer momento”.

Na mesma data, o presidente norte-americano, Joe Biden, informou a o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, que os EUA e aliados responderiam a qualquer agressão da Rússia de forma “rápida e decisivamente”.

Nesta terça-feira (15), o chanceler alemão Olaf Scholz tem viagem programada para Moscou. Há o objetivo de evitar uma invasão à Ucrânia. Por conta do cenário de tensão, diversos investimentos têm sido afetados.

Tensões entre Rússia e Ucrânia afetou mercado cripto

Seguindo a performance negativa das grandes bolsas globais, o mercado de criptomoedas operou com instabilidade na última sexta-feira (11), por exemplo.

De acordo com o CoinDesk, por volta das 11h50, o bitcoin apresentava leve crescimento de 0,46%, a US$ 42.545. A segunda cripto mais negociada, o ethereum, teve alta de 0,55%, a US$ 2.939 no período.

Mesmo com o desempenho positivo, o bitcoin zerou o crescimento acumulado até a última sexta-feira. Em sete dias, até a data em questão, a principal moeda digital apresentou desvalorização de 0,54%.

Ao Valor, o analista de negócios da plataforma de negociação de criptoativos Mercado Bitcoin, Lucas Passarini, declara que — depois de uma semana em recuperação — o bitcoin caiu no final de semana diante das tensões entre Rússia, Ucrânia e países do Ocidente.

O analista também alega que os investidores também demonstraram preocupação com a pressão inflacionária nos Estados Unidos.

Bolsas de valores internacionais registraram queda

As cripromoedas seguiram a redução em todos os mercados acionários internacionais. Na Europa, o mercado europeu acompanhou essa tendência, com os principais índices recuando aproximadamente 2%.

Na Ásia, o Nikkei 255, do Japão, liderou as desvalorizações, encerrando em redução de 2,23%. O segundo pior desempenho dessa região foi da Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, com queda de 1,57%. Na China, Xangai desvalorizou 0,98% e Hong Kong diminuiu 1,41%.

Diminuição recente das tensões entre Rússia e Ucrânia acalma mercado

Nesta terça-feira, o Ministério da Defesa da Rússia informou que retirou, de regiões de fronteira com a Ucrânia, algumas tropas que realizavam exercícios militares. A pasta ainda declarou que esses soldados estão retornando para suas bases.

Segundo a agência Interfax, o porta-voz do ministério, Igor Konashenkov, disse que ainda não terminaram os exercícios militares. Contudo, os soldados de distritos do Oeste e Sul completaram as manobras e voltarão para as bases.

No mesmo dia, o presidente russo alegou que não deseja uma guerra na Europa. Apesar disso, Putin descreveu o contexto das regiões separatistas como um genocídio. Ele alegou que a resolução do conflito precisa ser pelos termos do Tratado de Minsk.

O governo da Rússia confirmou o início da retirada das tropas presentes na fronteira, destacando que os exercícios são normais. O governo ainda descreveu como “histeria” ocidental em meio a uma possível invasão.

No futuro, o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov, declarou que Moscou organizará mais exercícios em toda a Rússia. Ele também reivindicou o direito do país a organizar manobras dentro de seu território.

Arrefecimento das tensões refletiu na retomada dos ativos globais
Arrefecimento das tensões refletiu na retomada dos ativos globais (Imagem: Montagem/FDR)

Por conta da diminuição das tensões, o mercado de investimento global reagiu positivamente. Na manhã dessa terça, as bolsas europeias, os índices futuros de Nova York e as grades criptomoedas operavam em alta.

Aproximadamente às 7h, o bitcoin registrou aumento acima de 4% — novamente em busca do patamar de US$ 44 mil. Já o ethereum subiu 6%, aos US$ 3.091.

No cenário local, diante desse contexto atual, os títulos públicos do Tesouro Direto apresentaram queda nesta manhã. A principal queda esteve entre os papéis de curto e intermediário prazo.

Somente o Tesouro Prefixado 2031 registrou avanço no período nas taxas. na abertura dos negócios, o título apresentou alta no retorno de 11,52% para 11,54% ao ano.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.