BBB 22: Eslovênia quebra câmera e dá grande prejuízo; confira o valor do equipamento

Na festa de sexta-feira (4) do Big Brother Brasil (BBB) rendeu consequências desagradáveis para os brothers depois da participante do grupo pipoca Eslovênia esbarrar e quebrar uma das câmeras que ficam na pista de dança.

O Big Boss não ficou nada contente, além de dar uma boa bronca nos brothers, retirou 100 estalecas de cada participante e 200 de Eslovênia. “Como todos vocês já sabem, é proibido mexer nas câmeras e equipamentos. Essa noite, dona Eslovênia quebrou uma das câmeras da festa diante de todos vocês. Além do mau uso do microfone. Dona Eslovênia perde 200 estalecas e toda casa perde 100 cada um. Acabou a brincadeira. Jogo sério”, disse o Big Boss.

O prejuízo nas estalecas nem se compara com o que a produção deve ter de arcar com a quebra da câmera.

Os equipamentos audiovisuais possuem um elevado custo e que raramente vem isolado se pensarmos que é necessário aparato de cabos, lentes e acessórios.

Em um programa cuja finalidade é não perder um segundo sequer do que está rolando, o investimento fica maior ainda.

De acordo com a coluna, Leo Dias, que ouviu especialistas em audiovisual para falarem um pouco sobre o prejuízo que a rede Globo pode ter levado.

Um dos modelos compatíveis seria a câmera 360 graus Nokia OZO, muito usada em produções cinematográficas e que conta com oito sensores ópticos que podem gravar em 4k ou 8k. 

O modelo também é indicado para transmissões ao vivo, já que dão mais liberdade aos diretores e diversas possibilidades de gravação. 

Este equipamento custa em torno de U$ 60 mil, o que convertendo ao real com a atual cotação do dólar pode chegar a quase R$ 320 mil.

Um dos especialistas ouvidos pela coluna, disse que todo o aparato tecnológico da emissora foi substituído há pelo menos dois anos pela marca Sony. Assim, a média de custo segue a mesma e os equipamentos continuam não custando menos de R$ 200 mil.

Uma outra opção utilizada pela produção do reality é a câmera BlackMagic, mais prática e que não necessita de cabos. Dependendo do modelo ela pode variar entre R$ 11 mil a R$ 55 mil.

Como ela derrubou a câmera?

Na ocasião, Eslovênia agarra o totem que carrega a câmera e, ao largar, faz ele cair no chão. Logo em seguida, um “ninja” entra para tentar consertar o aparelho, sem muito sucesso.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.