Preços de combustíveis terão política diferente caso Lula seja eleito; entenda

Nesta quinta, 3, o ex-presidente Lula afirmou que caso volte a governar o Brasil não irá manter o preço dos combustíveis vinculado ao dólar, como é feito atualmente com a política de preços adotada pela Petrobras. 

“Nós não vamos manter o preço dolarizado. Eu acho que os acionistas de Nova York, os acionistas do Brasil, têm direito de receber dividendos quando a Petrobras der lucro, mas é importante que a gente saiba que a Petrobras tem que cuidar do povo brasileiro”, disse Lula em uma entrevista a Rede de Rádios do Paraná (RDR).

“Eu não posso enriquecer um acionista americano e empobrecer a dona de casa que vai comprar um quilo de feijão e paga mais caro por causa do preço da gasolina”, completou.

A mudança na política de preços da Petrobras aconteceu no governo de Michel Temer, alegando que o controle de preços rígido que foi adotado no governo Dilma Rouseff causou prejuízos para a estatal e dificultava os investimentos. Por conta disso, foi adotada a politica que acompanha os preços do petróleo no exterior, que combina variação do dólar com reajustes frequentes.

O ex-presidente ainda avaliou que uma parcela da inflação é proveniente dos preços controlados pelo atual governo e disse ser preciso coragem para mexer em preços controlados pelo Estado.

“Quase 40% da inflação hoje é por preços controlados pelo governo. É o governo que controla energia, que controla petróleo, gás, óleo diesel. Se o governo tiver coragem, ele pode reduzir um pouco. Mas ele não tem coragem, o que ele quer fazer é vender, porque ele não sabe criar. Então vende. Isso não é governar, é destruir o patrimônio”, disse Lula.

Lula está atualmente na primeira colocação de todas as pesquisas de intenção de votos para as eleições presidenciais de 2022, mantendo uma boa margem de vantagem sobre o atual presidente, Jair Bolsonaro, que aparece isolado na segunda colocação.

Recentemente, Lula criticou a gestão atual da Petrobras. Ele afirmou que o preço dos combustíveis não podem ser dependentes dos preços cobrados no exterior. Segundo ele, se o país não tivesse petróleo, tudo bem, porém o Brasil tem.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.