Imóveis mais caros: preços subiram em todos os estados brasileiros

Em janeiro, os preços de venda de imóveis residenciais cresceram em média 0,53%, de acordo com o índice FipeZap+. O percentual acompanhou a projeção mais recente para o IPCA, o índice oficial da inflação, que foi revelada na última segunda, no Boletim Focus do Banco Central, para o mês, de 0,54%, e bem menor que o IGP-M, índice mais focado no mercado imobiliário, de 1,82%. O aumento dos preços dos imóveis foi de 0,48% em dezembro.

Segundo o levantamento, em todas as 50 cidades monitoradas pelo índice, menos em Canoas que registrou uma queda de 0,16%, foram constatados aumentos nos preços. Os destaques ficaram para Betim (+3,15%), São José dos Campos (+2,74%), Vila Velha (+2,07%), Balneário Camboriú (+2,03%), Goiânia (+2,02%), Campo Grande (+1,98%), que ficara acima do IGP-M.

Também se destacaram com as altas mais acentuadas, Maceió (+1,65%), São José (+1,63%), Vitória (+1,57%) e Florianópolis (+1,22%).

Já entre as capitais, Brasília (+0,77%), João Pessoa (+0,73%), Fortaleza (+0,71%) e Curitiba (+0,67%), também registraram altas acima do projetado para a inflação medida pelo IPCA, mesmo que em menor intensidade.

Porto Alegre (+0,10%), Rio de Janeiro (+0,17%), Recife (+0,30%), Belo Horizonte (+0,36%), Manaus (+0,45%), São Paulo (+0,47%) e Salvador (+0,49%), por sua vez, tiveram os menores aumentos.

Acumulado em 12 meses

Considerando os últimos 12 meses, o Índice FipeZAP+ teve uma alta de 5,47%, resultado  ainda bem menor ao acumulado do IGP-M, no período, de 16,91%, e da expectativa para o IPCA, em 10,38%, também de acordo com o último Boletim Focus.

Das 50 cidades monitoradas pelo índice, 48 delas tiveram um aumento nominal dos preços dos imóveis residenciais. Em 14 delas, os aumentos foram maiores que a inflação acumulada estimada pelo IPCA e os destaques ficaram com Itapema (+24,68%), Itajaí (+23,49%), Balneário Camboriú (+22,80%), Vila Velha (+21,89%), Vitória (+20,65%), São José (+18,55%), Maceió (+18,31%), Florianópolis (+16,13%), Goiânia (+15,14%) e Curitiba (+14,68%).

Nss outras capitais, as altas registradas foram: Brasília (+9,35%), João Pessoa (+8,45%) e Manaus (+8,43%), Campo Grande (+8,21%), Fortaleza (+6,44%), Salvador (+2,01%), Rio de Janeiro (+2,07%), Belo Horizonte (+3,98%), São Paulo (+4,14%), Recife (+4,41%) e Porto Alegre (+4,99%).

Por fim, as duas únicas cidades que não tiveram aumento nos preços em 12 meses foram Santos (-1,41%) e Niterói (0,0%).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.