Prouni está ameaçado? Congresso votará medida polêmica; entenda

Medida publicada em dezembro pelo Presidente deve ser votada após o término do recesso legislativo. O texto modificaria um dos principais pontos do Prouni e poderia tirar a essência do programa.

Prouni está ameaçado? Congresso votará medida polêmica; entenda
Prouni está ameaçado? Congresso votará medida polêmica; entenda (Imagem: FDR)

O recesso legislativo terminou na última quarta-feira, 2, com isso algumas votações devem acontecer já nos próximos dias, uma delas é sobre a MP 1.075/2021, publicada em 7 de dezembro de 2021.

Criado em 2005, o Programa Universidade Para Todos prevê a concessão de bolsas de estudos (parciais e integrais) a estudantes que estudaram apenas na rede pública ou como bolsistas na rede particular e que estão classificados como de baixa renda. É exatamente no público alvo que essa MP pretende mexer.

 Mudança no Prouni

O texto assinado pelo Presidente Jair Bolsonaro afirma que poderão participar do programa quem atender a um dos critérios estabelecidos, entre eles está ter feito:

O ensino médio parcialmente (ou totalmente) em escola da rede pública e parcialmente em instituição privada, na condição de bolsista parcial da respectiva instituição ou sem a condição de bolsista”.

É justamente essa última frase que poderia alterar a essência do programa.

Pois, ele foi criado para atender as pessoas que desejam fazer um curso de graduação, mas não têm condições de pagar os valores das mensalidades.

Para o professor da Faculdade de Educação da USP e dirigente da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, essa MP pode fazer uma elitização do programa.

 “Quando saiu essa medida provisória fizemos bastante críticas e conversamos com vários parlamentares sobre os efeitos dessa MP. Na prática ela representa a elitização do Prouni. Desconstrói o objetivo do programa que é garantir que o estudante de escola pública, o estudante sem renda, possa cursar uma faculdade”, afirmou o professor.

Outra alteração seria a dispensa de comprovante de renda.

O que, mais uma vez, traria uma elitização para o Prouni, uma vez que se não há comprovação de renda, não há como garantir que o requisito de renda per capita esteja sendo respeitado.

Essa primeira seleção do Prouni permanece com as regras já conhecidas.

Ou seja, a comprovação de renda e impedem que estudantes pagantes na rede privada participem.

Fique bem informado com a editoria de Carreiras do FDR.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jamille Novaes
Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora da editoria de carreiras do portal FDR. Jamille utiliza sua experiência na área da educação para cobrir notícias sobre cursos, vestibulares, empregos e concursos.