INSS: quase 800 mil pessoas estão na fila para fazer perícia; o que está acontecendo?

A fila de espera do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) já é extensa, e irá se agravar ainda mais com a paralisação dos médicos peritos. A mobilização com prazo de 24 horas de duração foi responsável por deixar mais de  24 mil segurados sem acesso à perícia e outros serviços previdenciários.

INSS: quase 800 mil pessoas estão na fila para fazer perícia; o que está acontecendo?
INSS: quase 800 mil pessoas estão na fila para fazer perícia; o que está acontecendo? (Imagem: FDR)

Hoje, essa fila de espera do INSS é composta por 1.838.459 pessoas, sendo que a maior parte, especificamente 792.540 dos pedidos consistem em benefícios que, para serem liberados, precisam ser submetidos à perícia médica. O montante equivale a 43% do total de pedidos.

Vale mencionar que os números foram obtidos através de uma pesquisa realizada pelo próprio INSS em novembro do ano passado. Época em que a fila de espera começou a ficar ainda mais lenta. Na última segunda-feira, 31, o jornal EXTRA teve acesso a dados exclusivos que mostram a relação de atendimentos negligenciados pela greve de peritos do INSS. Veja:

  • 24.201 – atendimentos médicos periciais;
  • 14.449 – pessoas na espera pela avaliação para o auxílio-doença;
  • 3.878 – brasileiros de baixa renda aguardando pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  • 5.874 – precisam fazer outras perícias.

Atualmente, o quadro de médicos peritos do INSS que já chegou a cinco mil servidores em determinado momento, está apenas com 3.411 profissionais. Deste total, 2.853 possuem agendamentos de atendimentos nos postos previdenciários, enquanto os demais se encontram em setores de gestão ou estão afastados.

De acordo com a advogada Silvia Correia, a extensão dos prazos destes procedimentos é um sério problema. Ela informou que a média para a concessão de um benefício vinculado à execução da perícia médica é de quatro a seis meses. 

Porém, esta paralisação, ainda que breve, fará com que este prazo se prolongue cada vez mais. E advogada ainda faz uma ressalva aos prejuízos causados aos segurados do INSS que precisam do benefício previdenciário para a subsistência própria. 

“São pessoas que não têm como trabalhar porque são de baixa renda ou porque têm deficiências, ou porque estão com alguma doença ou necessitando de afastamento do trabalho. Esses segurados dependem desses benefícios para subsistência porque todas essas pessoas não têm ganhos e estão aguardando a perícia”, explicou.

Veja a seguir a relação de requerimentos que necessitam de perícia médica: 

  • BPC da pessoa com deficiência – 630.668;
  • Benefício por incapacidade temporária – 116.223;
  • Benefício por incapacidade permanente – 38.000;
  • Auxílio acidente – 3.605;
  • Auxílio por incapacidade temporária acidentária – 1.694;
  • Aposentadoria por incapacidade permanente acidentária – 1.319;
  • Auxílio acidente de trabalho – 1.031.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.