Pix Crédito vem aí: grande banco brasileiro está testando nova funcionalidade

Após o Pix dominar a forma como as pessoas realizam a transferência no país e ser aceito por mais de 70% da população, o Pix parece estar ganhando uma nova versão que pode mudar o cenário no país.

A ideia é que bancos possam oferecer crédito por meio do Pix, permitindo que você pague aquele seu amigo com um dinheiro que ainda não possui na sua conta. O Itaú parece estar liderando essa frente.

Hoje, o Pix é majoritariamente utilizado entre pessoas físicas, ou seja, em ocasiões fora do varejo. Com a mudança, abre-se possibilidade para outros tipos de transações via Pix.

Com uma possível concessão de crédito, as pessoas terão a opção de parcelar compras por meio do Pix, o que favorece compras em estabelecimentos físicos e de quantias maiores.

Caso você fosse uma empresa de maquininhas de cartão, você não gostaria dessa mudança, já que perderia o seu fee por transação.

Quando você passa o seu cartão, a bandeira dele que  geralmente é Visa ou MasterCard também recebe uma fatia do que você está pagando. Com mais transações via Pix, essas empresas também perdem um “pouquinho”.

O que é PIX?

É um meio de pagamento instantâneo. O dinheiro pode ser transferido de uma conta para outra em até dez segundos, a qualquer horário, todos os dias (inclusive feriados e finais de semana). Além de transferir e receber dinheiro, você pode também fazer compras pagando com Pix e pagar contas (de luz, de celular etc.) e até impostos, como o Simples Nacional. Pode ser usada por pessoas físicas e jurídicas (empresas), inclusive MEI (microempreendedor individual). Não há limite da quantidade de transações via Pix no mês.

Pix Saque e Pix Troco

Em novembro, o Banco Central lançou o Pix saque, uma nova forma de uso do pagamento instantâneo: o Pix Troco.O Pix Troco funciona de forma parecida com a do Pix Saque,porém, ao invés do cliente simplesmente exigir a retirada de dinheiro a partir do QR Code, ele pode pagar um valor extra por um item e sacar esse montante que restou.

Por exemplo, se uma pessoa realizar um Pix de R$ 50 para comprar um produto de R$ 25, ela recebe R$ 25 em troca.

Essa mudança trouxe otimismo no uso de pix nos comércios. Assim, o cliente não precisa sacar dinheiro em alguma loja ou ainda obter mais dinheiro no Pix ao comprar um item e receber o troco. Isso significa mais potenciais consumidores ao lojista.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.