INSS: servidores tentam derrubar cortes no Orçamento; o que podemos esperar?

Assim como vários outros setores, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi atingido por um corte aproximado em R$ 1 bilhão no Orçamento da autarquia para este ano. Diante da verba escassa, o mesmo deve acontecer com a mão de obra, afetando diretamente o atendimento ao público. 

INSS: servidores tentam derrubar cortes no Orçamento; o que podemos esperar?
INSS: servidores tentam derrubar cortes no Orçamento; o que podemos esperar? (Imagem: FDR)

Neste sentido, os servidores já fizeram um alerta ao órgão, aproveitando para reclamar sobre o sucateamento das agências. E na tentativa de reverter a situação, a categoria tem a intenção de se mobilizar para pressionar os parlamentares a derrubarem o veto presidencial. 

Do contrário, será imposto uma recomposição no Orçamento do INSS. Com a verba reduzida para custear as despesas gerais, investir em um processamento de dados de qualidade, além de promover uma queda na mão de obra com a redução na quantidade de servidores, a autarquia teme pela paralisação das atividades presenciais. 

Se o temor se concretizar, a fila de espera do INSS, que já conta com 1,8 milhão de pessoas aguardando pela análise de processos, deve aumentar ainda mais. Até o momento, o INSS já teve uma perda de R$ 988 milhões que foram distribuídos em quatro áreas. A redução mais notável afetou os recursos voltados à administração nacional, que minguaram em R$ 709,8 milhões. 

No que compete exclusivamente aos serviços de processamento de dados, a perda foi de R$ 108,6 milhões. Enquanto isso, outros R$ 94,1 milhões foram excluídos de um projeto de melhoria contínua, além de R$ 3,4 milhões provenientes da área de reconhecimento de direitos a benefícios previdenciários. 

De acordo com o senador Angelo Coronel, o relator setorial da Previdência no Orçamento, disse que analisará o veto do presidente da República, Jair Bolsonaro. O parlamentar ainda explicou que o corte não foi sugerido por ele no relatório. 

“Sabendo das filas do INSS e da situação dos aposentados e daqueles que precisam se aposentar, não realizei cortes para administração de unidades do INSS. [O corte] foi uma decisão política do governo federal”, alegou. 

Tendo em vista que o corte no Orçamento terá reflexos diretos na população, aliados de Bolsonaro têm receio de que o veto possa prejudicá-lo a se reeleger no pleito eleitoral de 2022. Por esta razão, o Palácio do Planalto tem avaliado reverter o corte no Orçamento. Mas por hora, o que resta é aguardar um posicionamento oficial.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.