Consumo em restaurantes apresenta queda nos últimos 12 meses; saiba os motivos

O setor de restaurantes apresentou queda de consumo nos últimos 12 meses. O recuo no faturamento e bares, lanchonetes, padarias e restaurantes se dá por diferentes motivos. 

De acordo com informações apuradas pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com a Alelo, o consumo nos estabelecimentos apresentou uma queda de 7,6% no faturamento no mês de novembro de 2021 em comparação ao mesmo período de 2020. A leitura apontou ainda a queda de 1,2% nos valores gastos em supermercados. 

Durante o último ano, o Índice de Consumo em Restaurantes (ICR) registrou a queda ao longo dos meses. Os fatores que implicam para essa diminuição de consumo vão desde as restrições e medos gerados pela pandemia, quanto a alta dos preços.

O momento é de baixa no consumo e os motivos são diversos

A pandemia trouxe mudanças de hábitos e financeiras para a vida da população. Os registros apontam o período como um grande agente da baixa de consumo. Em uma comparação de novembro de 2021 com um período pré-covid, lê-se novembro de 2019, o ICR registrou uma queda de 28,7% do faturamento e 43,8% na quantidade de vendas.

Entretanto, o estudo percebe também como apesar da flexibilização das restrições sanitárias e o avanço da vacinação no país, o consumo segue menor em comparação aos outros anos. 

Alguns fatores tendem a prejudicar o fluxo e faturamento dos restaurantes. A alta nos preços de bens e serviços, a queda na renda e do poder de compra das famílias, as mudanças permanentes nos hábitos e na rotina de trabalho de consumidores, além das incertezas sobre o futuro da pandemia e da economia”, afirma Cesário Nakamura, presidente da Alelo.

O Centro-Oeste foi a região que mais apresentou queda de gastos em restaurantes entre novembro de 2019 e novembro de 2021 com uma queda de 31,3%, seguindo 29,8% no Sul, 29,1% no Nordeste, 28,4% no Sudeste e 25,6% no Norte.

Mudança nos hábitos de consumo

O setor de delivery apresentou um crescimento durante a pandemia, foi a modalidade que, em momentos de pico da Covid-19, sustentou bares e restaurantes que se adequaram à nova realidade. 

De acordo com pesquisa realizada pela Associação Nacional de Restaurantes (ANR) em parceria com a consultoria Galunion e com o Instituto Foodservice Brasil (IFB), o delivery corresponde a 39% do total do faturamento de restaurantes, bares e lanchonetes. 

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.