Motoristas de ônibus entram em greve em Natal; confira como fica o transporte

Nesta terça-feira, 18, a Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), autorizou uma greve por parte dos motoristas de transporte opcional da Região Metropolitana e de turismo que estejam devidamente registrados no Departamento de Estradas de Rodagens (DER).

A decisão foi motivada pela paralisação dos rodoviários e, neste caso, é direcionada aos mesmos trabalhadores que operam no itinerário das linhas de ônibus de Natal. 

É importante mencionar que a greve dos rodoviários resultou na permanência de apenas 30% da frota de ônibus na ativa. O ocorrido gerou transtornos entre os passageiros que precisaram permanecer por longos períodos nos pontos de ônibus, além de veículos com superlotação. Agora, uma portaria deve ser publicada até o final desta quarta-feira, 19, no Diário Oficial do Município para validar as investidas da classe até o final da greve.

Vale mencionar que, em ocasião anterior, o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN) já havia aprovado um indicativo para que a greve tivesse início nesta quarta, mas a determinação foi antecipada surpreendendo a todos os usuários do transporte público que sofreram com a capacidade reduzida das frotas.

O Sintro cobra um reajuste salarial da categoria na margem de 10%, mas este não é o único clamor. Os motoristas de ônibus que entraram em greve também querem a reposição do pagamento integral do vale alimentação que foi drasticamente reduzido nos últimos anos.

Na oportunidade, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) informou sobre a solicitação de um adiantamento na negociação prevista para janeiro, até que o governo estadual e a prefeitura de Natal chegassem a uma conclusão sobre a renovação das isenções de impostos incidentes sobre os combustíveis para o transporte público.

Em dezembro do ano passado, o Governo do Rio Grande do Norte prorrogou a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre o combustível. Por outro lado, não houve a isenção do Imposto Sobre Serviços (ISS), motivo pelo qual o Seturn aguarda uma definição. 

Enquanto as negociações seguem indefinidas, os passageiros é que sofrem com a greve. É o caso de Eider Roberto, que esperava pela chegada de um ônibus na Avenida Tomaz Landim, na Zona Norte de Natal. No entanto, até às 08h ele ainda não havia conseguido se deslocar.

“É complicado, porque eles não comunicam nada para a gente. E quando a gente chega na parada que vê. Estou desde às 05h30 na parada e até agora os ônibus passam todos assim [lotados]. Sem condições”, reclamou o passageiro.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.