Como equipe de Bolsonaro pretende ampliar Auxílio Brasil para 20 milhões de famílias?

Após o anuncio de que o Auxílio Brasil zerou sua fila de espera, o benefício paga sua primeira parcela do ano nesta terça-feira (18). A partir deste mês serão beneficiados 17 milhões de famílias, conforme informado pelo Ministério da Cidadania. Acontece que o governo quer mais, e pretende ampliar esse número.

Como equipe de Bolsonaro pretende ampliar Auxílio Brasil para 20 milhões de famílias?
Como equipe de Bolsonaro pretende ampliar Auxílio Brasil para 20 milhões de famílias? (Imagem: FDR)

A equipe do governo tem demonstrado forte interesse em ampliar de 17 para 20 milhões o número de famílias beneficiadas pelo Auxílio Brasil. O objetivo seria atender a uma determinação do Congresso em que foram alteradas as faixas de pobreza e extrema pobreza no país.

Com a alteração, mais 3 milhões de famílias poderiam ser inclusas no programa social. O que falta no momento é orçamento para bancar essa nova inclusão.

Como a Medida Provisória (MP) que lançou o programa não contém nenhum trecho que impeça a formação de fila de espera, estas pessoas teriam que aguardar.

No entanto, assessores do governo defendem remanejamento de valores do Ministério da Economia para bancar essa nova inclusão.

De acordo com o G1, essa ação seria usada como estratégia política visando as eleições presidenciais. Sem fila de espera no Auxílio Brasil, o governo Bolsonaro poderia defender sua conduta na assistência social sem sofrer ataques.

Não é segredo para ninguém o fato de que o programa social vai sim ser usado como uma tática na campanha bolsonarista. Logo, usar todos os recursos a favor do presidente seria a melhor decisão.

Ainda não se sabe se as novas inclusões serão mesmo confirmadas, porque dependem de organização econômica. Os interessados devem manter sua inscrição atualizada na CadÚnico para garantir a entrada no programa.

Parcelas do Auxílio Brasil maiores que R$ 400

Nesta segunda-feira, 17, João Roma, o Ministro da Cidadania, disse que o valor médio pago no Auxílio Brasil será superior a R$ 400.

O ministro concedeu entrevista a TV Brasil, por meio do programa Sem Censura. Na ocasião defendeu a organização do sistema social, que através do Auxílio BR tem criado uma nova estrutura de atendimento ao público vulnerável.

“O Auxílio Brasil chega mais fortalecido, ele interliga programas sociais ao programa de transferência de renda. Já no seu início teve um reajuste de 17%, mais do que o avanço inflacionário [10,06%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA], e com o benefício compensatório ele vai para R$ 400 no mínimo. [Isso] significa que o ticket médio passa a ser até maior”, afirmou Roma.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Lila Cunha
Lila Cunha é formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atua como repórter especial para o portal FDR. É responsável por selecionar as informações abordadas e garantir o padrão de qualidade das notícias veiculadas. Além disso, trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional.