BrMalls (BRML3) recusa proposta de fusão da Alianse Sonae (ALSO3); como ficam as ações?

Na última sexta-feira (14), a operadora de shoppings brMalls (BRML3) anunciou que seu conselho de administração decidiu recusar a proposta de combinação de negócios com a Aliansce Sonae (ALSO3). A decisão foi tomada por unanimidade.

No entendimento da brMalls, a proposta “subvalia, consideravelmente, o valor econômico justo” da empresa e de seu portfólio de ativos. Portanto, a oferta “não atende aos melhores interesses dos acionistas”.

Em 4 de janeiro, a Alisansce enviou uma proposta. A oferta envolvia o pagamento de R$ 1,35 bilhão em dinheiro aos acionistas da brMalls. Esse valor representa 20% do preço de mercado atual da companhia.

De modo prático, os acionistas da brMalls receberiam aproximadamente R$ 1,6184 por ação BRML3, nos termos do acordo atual.

Já os 80% restantes seriam pagos em ações — sendo 0,31769690 ações ordinárias de emissão da Aliansce Sonae para cada ação da brMalls.

Desse modo, os acionistas da brMalls ficariam com 50% da companhia originada pela fusão. Conforme a Aliansce, a relação de troca “reflete um prêmio implícito de múltiplo relativo para os acionistas de BR Malls de aproximadamente 13%”.

No entanto, a brMalls informa que “a referida proposta não atribui pagamento de prêmio em relação ao fechamento da ação da companhia em 13 de janeiro de 2022”. Sendo assim, diante da recusa por parte da companhia, não haverá, no momento, mudança na questão das ações.

Aliansce Sonae deve continuar a negociação com a brMalls

Segundo fontes consultadas pelo InfoMoney, a Aliansce deve seguir com as negociações com a brMalls sobre os benefícios da transação — como as sinergias no longo prazo.

De acordo com a Levante Ideias de Investimentos, a oferta de uma proposta formal, que foi negada, deve manter o mercado financeiro atento a potenciais movimentações entre as companhias. Isso porque existe a compreensão de que a fusão faça sentido operacional.

A possível união entre as duas empresas resultaria em uma gigante no setor, com 69 shopping centers. Desse modo, surgiria a maior companhia do segmento da América Latina.

De forma combinada, a nova companhia poderia capturar aproximadamente R$ 160 milhões em sinergias — obtendo um lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) de aproximadamente R$ 2 bilhões no final do segundo ano.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.