Tecnologia do Bitcoin possibilita negociação de obras de arte; saiba como funciona

Pontos-chave
  • As bitcoin são as novas moedas do mercado;
  • Agora, até artes podem ser compradas com elas;
  • As NFTs são as mais procuradas por aqueles que desejam realizar a compra de uma obra de arte.

Os seres humanos possuem uma tendência única para colecionar itens raros.Em uma sociedade a caminho da sua completa digitalização podem esperar alguns itens digitais.A tecnologia do Bitcoin possibilita uma negociação das obras de arte. Saiba aqui como funciona.

Até o ano de 2008 era impossível dar escassez para um bem digital, você pode copiar e colar quantas fotos quiser.Porém, após o lançamento do “Bitcoin: A peer to peer eletronic cash system”, foi criada o bits e bytes escassos.

Blockchain

Essas aplicações invadiram o mundo da arte. A tecnologia que se baseia no bitcoin ou moeda virtual, pode ser aplicada às indústrias criativas para superar grande parte dos obstáculos enfrentados pelos autores hoje em dia. Uma de suas principais vantagens consiste em garantir, entre outros aspectos, direitos autorais, transparência nas vendas ou proveniência das obras.

Como isso ajuda no setor da arte?

Essas aplicações ou cadeia de blocos são conhecidas no setor de finanças. Elas permitem que sejam realizadas operações mais seguras na internet como o pagamento de criptomoedas ou contratos inteligentes.

O que são NFTs?

O NFT é a sigla para o termo non fungible token, ou “token não fungível”. Estes,são tokens, ou seja, códigos numéricos com registro de transferência digital que garantem autenticidade aos seus donos. 

Assim, eles funcionam como itens colecionáveis, que não podem ser reproduzidos, mas sim transferidos. Diferente das criptomoedas, como o Bitcoin, e vários tokens utilitários, os NFTs não são mutuamente intercambiáveis. 

Os NFTs podem realmente ser qualquer coisa digital, mas muito do “hype” gira em torno da arte digital. Esses podem representar virtualmente qualquer tipo de item, seja ele real ou intangível, incluindo:

– Trabalhos artísticos;

– Itens virtuais dentro de videogames, como skins, moedas digitais, armas e avatares;

– Música;

– Colecionáveis, como cards digitais;

– Ativos do mundo real tokenizados, desde imóveis e carros a cavalos de corrida e tênis de marcas famosas;

– Terrenos virtuais;

– Vídeos de momentos icônicos do esporte.

Essa digitalização de arte conquistou diversos adeptos e o mercado de NFT explodiu com mais de US$400 milhões movimentados apenas nos primeiros meses de 2021. 

Quais os NFTs mais caros da história?

Beeple Colletions 

Foi criado por Mike Winkelmann, conhecido como Beeple, um artista digital que já trabalhou para grandes empresas nos Estados Unidos. Há poucos meses ele não tinha relevância alguma no mercado de arte.

No dia  11 de março, Beeple vendeu um arquivo JPG chamado de “Everydays – The First 5000 Days” por US$69,3 milhões. A obra é uma colagem de todas as obras criadas por Beeple nos últimos 5 mil dias. 

Sua coleção conta com outras obras valiosas como o “The Infected Culture” avaliado em US$288 mil.

CryptoPunk #3100

Foi criado por Larva Labs, uma companhia que se descreve como “casa para nossos projetos profissionais e experimentais”. Ela é dirigida pelos engenheiros de software Matt Hall e John Watkinson. 

O CryptoPunk é a coleção mais famosa de NFT da empresa, sendo composta de 10 mil bonecos pixelados com características únicas como roupas, cor de pele, sexo e raça (aliens, zombies, macacos e humanoides). O boneco mais valioso foi o CryptoPunk 3100, um dos 9 raros aliens punks. 

O CryptoPunk 7804 foi vendido pelo mesmo preço em ether mas a moeda estava menos valorizada em relação ao dólar no momento da compra. 

Primeiro Tweet

O primeiro tweet foi feito por Jack Dorsey, criador do Twitter, fundador da Square e um grande investidor no bitcoin.  

O primeiro tweet ainda está sendo arrematado pelo preço de 2,5 milhões ou 1630,5825601 ether. Isso significa que o preço ainda pode aumentar por este NFT histórico. 

Terreno no game Axel Infinity

O seu criador foi Sky Mavis é o estúdio do famoso game em blockchain Axie Infinity. 

Os games em blockchain também se beneficiam dos NFTs, com itens raros sendo vendidos livremente entre gamers. Dentre um desses itens foi um terreno no Axie Infinity, um jogo inspirado no universo do Pokémon onde os players podem batalhar, coletar, crescer e construir reinos para seus pets. 

The Best I Could do

O criador da obra foi Justin Roiland, um dos criadores do famoso cartoon Rick And Morty. Além de ser dublador, diretor e dono de um estúdio de games, Justin também vende arte no blockchain. Quanto talento. 

A obra “First Rick and Morty Crypto Art” vendida por US$150 mil da coleção “The Best I Could do” que arrecadou pouco mais de US$1 milhão. 

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.