Unicórnios: confira quais foram as empresas que em 2021 se juntaram ao valioso grupo 

Esse ano de 2021 foi o ano recorde para o ecossistema brasileiro de inovação, até o mês de novembro, cerca de US$ 8,85 bilhões foram investidos em startups brasileiras. O volume de aportes desse ano é quase três vezes maior do que o de 2020, que foi de US$ 3,65 bilhões. Diversas empresas acabaram sendo unicórnios neste ano.

Os setores que atingiram esse patamar foram vários como:  varejo, educação, criptomoedas, serviços financeiros e e-commerce. Veja as empresas que alcançaram esse feito.

MadeiraMadeira

Um dos primeiros unicórnios de 2021, a plataforma de produtos para casa MadeiraMadeira anunciou ainda em janeiro deste ano um aporte de US$ 190 milhões. Essa extensão do investimento concluiu a rodada Série E, que teve a liderança dos fundos SoftBank Latin America Fund e a Dynamo.

Hotmart

No mês de março, a Hotmart Company, que oferece a criadores de conteúdo uma plataforma para a criação e gestão de negócios digitais, revelou que havia alcançado o status de unicórnio. O anúncio foi feito após a startup levantar R$ 735 milhões em uma rodada liderada pelo fundo TCV. Segundo a Hotmart, a empresa havia se tornado unicórnio um ano antes, mas decidiu divulgar a notícia apenas em 2021.

Bitcoin

Já o terceiro unicórnio do ano foi a holding 2TM, dona do Mercado Bitcoin, em julho. A plataforma de negociação de bitcoins e criptomoedas anunciou que recebeu US$ 200 milhões do Softbank e foi avaliada em US$ 2,1 bilhões. A empresa se tornou o primeiro unicórnio de criptomoedas da América Latina.

Unico

No mês de agosto, a unico (ex-Acesso Digital), startup de biometria, também atraiu o Softbank, que liderou ao lado do fundo General Atlantic uma rodada de R$ 625 milhões na companhia.

Frete.com

Em novembro, a  Frete.com entrou para a lista de unicórnios brasileiros. O grupo foi criado e lançado oficialmente em novembro, com a responsabilidade de servir de guarda-chuva para três operações diferentes: a já conhecida CargoX, a FreteBras e a FretePago. Para tirar o empreendimento do papel e fazer acontecer, a empresa levantou um aporte de US$ 200 milhões, liderado por Softbank e Tencent.

Cloudwalk

Em novembro, a fintech responsável pelas maquininhas de cartão da InfinitePay, também virou unicórnio. Fundada em 2013, a startup, que também oferece uma tecnologia de pagamento com soluções em nuvem e blockchain, atingiu o valor de mercado de US$ 2,15 bilhões após receber um aporte de US$ 150 milhões, em rodada liderada pelo fundo Coatue.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.