Plataforma que vende produtos com preços mais baixos é o mais novo unicórnio brasileiro

A Facily, plataforma de social Commerce, acabou de receber US$135 milhões em investimentos em Série D-1, como uma ampliação da rodada da Série D, de US$250 milhões que tinha anunciada no mês passado. Com a nova captação, a plataforma bate a marca de US$1 bilhão de dólares de valoração, a posicionando como o mais novo unicórnio brasileiro.

publicidade

A rodada foi capitaneada pela Goodwater e Prosus, e contou com a participação da Rise Capital, Emerging Variant, Tru Arrow e outros fundos.

A Facily foi criada em 2018 com a finalidade de possibilitar compras em grupo e proporcionar os melhores preços e produtos multicategorias para os consumidores. A plataforma é voltada para a população mais pobre, trazendo benefícios com frete grátis e pagamento facilitado através do PIX, por exemplo. 

Diego Dzodan, um dos fundadores da plataforma, se inspirou em companhias chinesas após uma viagem que fez quando ainda era vice-presidente do Facebook para a América Latina, para criar o modelo de negócios da Facily. Juntam-se a ele, Luciano Freitas e Vitor Zaninotto como fundadores da plataforma. 

publicidade

“O e-commerce brasileiro está focado no topo da pirâmide de consumo, de quem paga os maiores preços, com frete e determinadas formas de pagamento. Na China o modelo funcionou muito bem e aqui, um país cheio de oportunidades, estamos provando que podemos fazer o mesmo”, explicou Dzodan.

A plataforma cresceu de forma expressiva no último ano, e foi tida como o aplicativo de comércio eletrônico de alimentos do mundo que obteve a maior expansão de todos os tempos e uma das plataformas com o crescimento mais acelerado do Brasil, segundo a App Annie.

Por que os produtos são mais baratos 

O Facily funciona como uma compra coletiva, em os usuários fazem compras em grupo para que os preços se tornem melhores. O frete também é zerado pois as compras são enviadas para um dos 12 mil pontos de entrega nas nove cidades que a plataforma opera. Desta forma, o cliente final deve retirar a compra ao invés de recebê-la em sua casa. 

“Entendemos que ele não se importa com o deslocamento desde que o frete seja grátis”, afirma Dzodan.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Outras estratégias para baratear os preços é retirar alguns intermediários do processo de compra e venda e o não investimento em marketing, um dos fatores que mais encarasse os custos dos e-commerces brasileiros.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.