Dias para se esquecer: Relembre os piores dias da Bolsa brasileira em 2021

Ao longo deste ano, a Bolsa de Valores brasileira (B3) passou por grande volatilidade. O principal índice da Bolsa, o Ibovespa, foi impactado por alguns fatores, como o cenário político-fiscal, a pandemia de covid-19 e alta inflação. Conheça os piores dias da Bolsa brasileira em 2021, segundo apurado pela Suno.

No início de 2021, o Ibovespa se encontrava aos 118 mil pontos. Atualmente, o principal índice da B3 registra 104 mil pontos. No acumulado anual, há uma perda de 12,49%. Em alguns dias, a perda foi mais acentuada.

Os piores dias da Bolsa Brasileira em 2021

  • 5º. 19 de outubro (recuo de 3,28%)

Neste dia, o Ibovespa despencou 3,28%, aos 110.672 pontos. No cenário macroeconômico, questões fiscais preocuparam os investidores. A queda nessa data aconteceu em meio à possibilidade de flexibilização do teto de gastos.

Como forma de financiar parte do volume de recursos direcionados ao programa Auxílio-Brasil, houve a indicação do “extra-teto”.

  • 4º. 26 de novembro (recuo de 3,39%)

Nesta data, o Ibovespa encerrou a sessão com redução de 3,39%, aos 102.224 pontos. Os investidores demonstraram preocupação com a notícia sobre a nova variante do coronavírus, a ômicron. A variante foi identificada, primeiramente, na África do Sul.

Por conta disso, o mercado demonstrou preocupações sobre possíveis novos lockdowns, além de retomada das medidas de distanciamento social.

  • 3º. 8 de setembro (recuo de 3,78%)

Nesta ocasião, o Ibovespa recuou 3,78%, aos 113.413 pontos. Essa queda ocorreu um dia após o feriado de Independência — quando mais de 400 mil apoiadores de Jair Bolsonaro saíram às ruas pelo país.

Nos atos, o presidente se pronunciou contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes. Bolsonaro ainda realizou ameaças ao presidente da Corte, ministro Luiz Fux.

  • 2º. 8 de março (recuo de 3,98%)

Neste dia, a Bolsa teve uma diminuição de 3,98%, aos 110.611 pontos. Isso aconteceu diante de um forte movimento de realização de lucros. A perspectiva da pandemia também afetou o desempenho do Ibovespa — diante da lentidão da companha de vacinação contra a covid-19.

Outro ponto que balançou o mercado foi a decisão do ministro do STF, Edson Fachin, que anulou as condenações de Luiz Inácio Lula da Silva pela Justiça Federal no Paraná. A medida valeu para as investigações da Operação Lava-Jato. Com isso, Lula passou a recuperar os direitos políticos.

  • 1º. 22 de fevereiro (recuo de 4,87%)

Na ocasião, o Ibovespa caiu 4,87%, aos 112.667 pontos. Dois dias antes dessa data, numa sexta-feira, Bolsonaro tinha anunciado que indicaria um novo presidente-executivo para a Petrobras. O mercado entendeu a ação como um alto risco de ingerência governamental para a empresa.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.