PIX em 2022: pagamentos poderão ser feitos sem internet e para o exterior

O PIX é um sucesso entre os brasileiros desde seu lançamento e no ano que vem, a solução de pagamentos do Banco Central ficará ainda mais completa. O PIX deverá suportar transferências internacionais, sem conexão com a internet e débito automático. E ainda, com a chegada do open banking, o processo de compra tende a ficar mais facilitado, sem a necessidade de trocar de aplicativo.

Destas novidades citadas, a do débito automático já faz parte do cronograma do PIX em 2022. No caso do PIX para o exterior e o PIX sem conexão com a internet ainda não constam na agenda, porém foram adiantadas por Roberto Campos Neto presidente do BC, no aniversário de um ano do sistema de pagamento, no mês passado.

Através do PIX Débito Automático, os usuários poderão efetuar o pagamento de contas de consumo ou de cobranças recorrentes sem precisar fazer uma nova transação a cada vez.

PIX sem conexão e para o exterior 

O BC também tem a intenção de fazer com que o PIX suporte operações em locais sem conexão com a internet. Estas transações começariam através do QR Code, porém, ainda não existem detalhes aprofundados sobre esta modalidade.

Já no caso de movimentações para outra países, a intenção é que outros sistemas de pagamentos do exterior se conectem ao PIX. Ao site Tecnoblog, o Banco Central explicou que a modalidade ainda está sendo estudada e que as experiências de interligação em desenvolvimento em outras jurisdições estão sendo acompanhados de perto.

Ainda não existe uma previsão de quando essa duas novidades estarão disponíveis para os usuários.

Open Banking 

O Open Banking, sistema de compartilhamento de dados bancários ainda não é tão famoso quanto o PIX, porém, é uma outra inovação importante do BC para o sistema financeiro do país.

Neste ano, as empresas puderam compartilhar informações de cadastro e de transações nas duas primeiras etapas de implementação, sempre com a autorização dos clientes. Na fase 3, que começou em outubro, aconteceu uma integração das transações.

Até o momento, isto só funciona com o PIX, porém, a partir de fevereiro começa a valer também para TED. Boletos entram em junho, e débitos em conta, em setembro.

Desta forma, o usuário poderá utilizar apenas um aplicativo para efetuar uma compra e já fazer o pagamento sem precisar copiar códigos e abrir o aplicativo do banco, como é feito atualmente.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.