Como funciona a revisão do FGTS? Processo promete parcela de até R$ 10 mil

A revisão do FGTS, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, promete pagar em média parcela de R$ 10 mil para cada trabalhador. Terão direito a revisão aqueles que exerceram alguma atividade com carteira assinada.

Como funciona a revisão do FGTS? Processo promete parcela de até R$ 10 mil
Como funciona a revisão do FGTS? Processo promete parcela de até R$ 10 mil (IMAGEM: FDR)

Trabalhadores que possuem saldo no FGTS devem ficar atentos a possibilidade de receber até R$ 10 mil pela revisão do FGTS. O valor da parcela será com base no tempo de serviço, aqueles que trabalham na mesma empresa há anos têm maior saldo.

Como funciona a revisão do FGTS

A revisão tem como objetivo aumentar a margem de lucro dos trabalhadores. Devem solicitar revisão dos valores aqueles que estiveram por muito tempo no mesmo emprego com salários maiores que os pagos ao FGTS. 

A revisão vale também para quem já retirou parte ou todo o saldo das contas do fundo, tendo direito a correção monetária. Em casos como esse, será levado em conta o momento em que o dinheiro estava na Caixa.

Para realizar o pedido, o trabalhador deve acessar o site do fundo, ir até uma agência Caixa, banco responsável pelo FGTS, ou mesmo por meio de um advogado que abrirá uma ação na justiça.

É válido ressaltar que a revisão não é vantajosa para quem trocou muitas vezes de emprego.

A TR, Taxa Referencial, foi considerada inconstitucional pelo STF que ainda precisa decidir quanto à troca da mesma por outro índice que siga a inflação. A Taxa Referencial é um indicador econômico criado ainda no Plano Collor 2 através da Lei 8.177/91. O indicador é utilizado para corrigir investimentos e fundos como o FGTS. 

Zerada desde o ano de 1999, a TR vem sendo prejudicial ao trabalhador. Os especialistas da área acreditam que a melhor solução seria trocar a Taxa Referencial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, o INPC.

Quais documentos apresentar para a revisão 

Para solicitar a revisão, o trabalhador deve apresentar os seguintes documentos:

  • extrato do FGTS desde 1999, sendo obrigatório estar vinculado ao programa a partir desse ano;
  • cópia do comprovante de residência atualizado;
  • cópia do CPF e RG ou CNH;
  • documentos que comprovem o vínculo empregatício.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.