Auxílio Brasil fará mais revisões em 2022 e seu benefício corre perigo

Em 2022 o novo programa social do governo, o Auxílio Brasil, fará revisões cadastrais contínuas. Logo, as famílias correm perigo de ter o benefício suspenso ou cancelado com mais facilidade.

Auxílio Brasil fará mais revisões em 2022 e seu benefício corre perigo
Auxílio Brasil fará mais revisões em 2022 e seu benefício corre perigo (IMAGEM: FDR)

Verificação periódica

A verificação dos cadastros do programa social do governo ficarão mais intensas. O intuito das revisões é evitar que pessoas que não cumpram os requisitos se beneficiem do auxílio. Confira as avaliações:

  • Averiguação cadastral: verificação dos dados registrados no CadÚnico. A averiguação deve avaliar se o beneficiário cumpre os requisitos do programa;
  • Revisão de elegibilidade: revisão das famílias beneficiadas, verificação das informações dadas para a manutenção do benefício;
  • Revisão cadastral: revisão periódica das informações socioeconômicas das famílias.

Beneficiário pode entrar com recurso?

Diante das avaliações, em caso de cancelamento ou suspensão do benefício, o responsável familiar poderá recorrer apresentando recurso ao coordenador municipal do auxílio. 

O prazo para entrar com o recurso é de 30 dias após a tentativa de saque sem sucesso em decorrência do bloqueio. Após o contato com o coordenador municipal, o mesmo deverá deliberar sobre o recurso.

Quem pode se inscrever no Cadastro Único para ter o Auxílio Brasil

A plataforma de triagem para os projetos sociais, CadÚnico, é responsável por direcionar os beneficiários para o Auxílio Brasil. 

A inscrição na plataforma não é permitida a qualquer pessoa, uma vez que benefícios sociais são destinados a pessoas em situação de vulnerabilidade econômica. Confira se você está apto ao cadastro:

  •  Famílias que  possuam renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 550);
  • Famílias que  possuam renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • Famílias que  tenham renda maior que três salários mínimos, desde que o cadastramento esteja vinculado à inclusão em programas sociais nas três esferas do governo;
  • Pessoas que moram sozinhas, as chamadas famílias unipessoais;
  • Pessoas que vivem em situação de rua, sozinhas ou com a família.

Como entrar para o CadÚnico

A inscrição no CadÚnico acontece de forma presencial, para isso o representante familiar deve se dirigir ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), ou mesmo em postos de atendimento do Cadastro Único e do Bolsa Família mais próximo da sua casa. O representante precisa ter pelo menos 16 anos e ser preferencialmente do sexo feminino. 

Para realizar o cadastro é preciso apresentar o documento de identificação de cada membro da família. O representante da família também irá participar de uma entrevista com funcionário da prefeitura para responder perguntas básicas.

Após o procedimento, os dados do cidadão serão inseridos no sistema digital do cadastro. Será então gerado o número do (NIS), número com o qual a pessoa irá se identificar e se inscrever para os projetos sociais.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.