Trabalha como entradador do iFood ou Uber Eats? Você pode ganhar auxílio financeiro

Na quinta-feira, 9, através de uma votação simbólica, o Plenário do Senado aprovou o projeto de lei que estabelece medidas de proteção social e de saúde para entregadores de aplicativos por meio de auxílio financeiro, enquanto o estado de emergência de saúde pública em decorrência da pandemia do Covid-19, permanecer. Agora, a matéria do relator, senador Randolfe Rodrigues, seguirá para sanção.

publicidade

“O presente projeto se limita a determinar medidas emergenciais diante da crise sanitária, econômica e social decorrente da pandemia do coronavírus e representa um avanço importante para que, no futuro, o Congresso Nacional promova um amplo debate sobre os direitos trabalhistas e a nova economia proporcionada pelos serviços dos aplicativos”, disse Randolfe.

O texto prevê, entre outras coisas, que a empresa por trás do aplicativo de entrega, faça a contratação de um seguro contra acidentes, sem franquia, e que beneficie os entregadores que estiverem cadastrados. O seguro deve cobrir exclusivamente acidentes que aconteçam durante o período em que o profissional estiver em serviço.

O seguro deve obrigatoriamente cobrir, acidentes pessoais, invalidez permanente ou temporária e morte.

publicidade

Caso o profissional trabalhe para mais de uma empresa de aplicativo, o valor da indenização deve ser pago pela seguradora contratada pela empresa que o profissional esteja trabalhando no momento do acidente.

O texto diz ainda que a empresa deve pagar aos profissionais que estiverem afastados em decorrência da Covid, um auxílio financeiro durante os 15 dias, com valor correspondentes à média dos três últimos pagamentos mensais pagos ao entregador. 

Como forma de comprovar que contraiu a doença, o trabalhador precisa apresentar o resultado positivo no teste RT-PCR ou laudo médico que ateste o afastamento. A ajuda financeira pode ser prorrogada por mais dois períodos de 15 dias.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

“É uma matéria mais do que pertinente e um ato de justiça para esses trabalhadores que tanto têm sido explorados, espoliados, sobretudo, neste momento da pandemia. A emergência sanitária decorrente da pandemia que ora vivenciamos demanda uma ação decisiva no sentido de adaptar a institucionalidade vigente às necessidades sociais decorrentes da condição de excepcionalidade sanitária”, disse Randolfe.

O texto também prevê que a empresa forneça instruções a respeito do coronavírus, itens como máscaras, álcool em gel ou outro material higienizante, entre outras coisas.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.