PEC dos Precatórios é encaminhada ao Senado; Auxílio Brasil tem chances?

Embora a votação da PEC dos Precatórios estivesse prevista para ser votada no plenário do Senado Federal às 09h de hoje, 02, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, adiou novamente a apreciação do texto. Este já é o segundo adiamento, tendo em vista que a avaliação original deveria ter acontecido na última terça-feira, 30.

PEC dos Precatórios é encaminhada ao Senado; Auxílio Brasil tem chances?
PEC dos Precatórios é encaminhada ao Senado; Auxílio Brasil tem chances? (Imagem: FDR)

O motivo de a PEC dos Precatórios ter sido adiada novamente se refere ao fato de que a base do Governo Federal enfrenta certa resistência para assegurar os votos necessários para a aprovação do texto.

Para quem ainda não sabe, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, visa obter a autorização necessária para parcelar uma parte do total de precatórios para 2022, que é de R$ 90 bilhões. 

Esses precatórios são dívidas judiciais ganhas pelo povo contra o governo em valores que ultrapassam 60 salários mínimos cada. Mas tendo em vista que o parcelamento total seria uma medida drástica, a intenção é parcelar somente a quantia de R$ 40 bilhões em dez parcelas anuais. O restante será pago de uma só vez aos ganhadores das ações.

Se a PEC dos Precatórios for aprovada no Senado Federal e enviada para sanção presidencial, este sistema poderá se concretizar. Desta forma, será possível financiar integralmente as propostas feitas através do novo programa social que substitui o Bolsa Família, o Auxílio Brasil.


As primeiras investidas serão o pagamento da parcela de R$ 400 para 17 milhões de famílias em situação de vulnerabilidade social.

Assim, o Governo Federal mataria ‘dois coelhos com uma cajadada só’. Pois seria possível honrar a promessa de elevar o valor médio do benefício que, no Bolsa Família, era de R$ 189. Além disso, a proposta de ampliar o número de beneficiários também poderá acontecer. Por hora, são atendidas somente as 14,6 milhões de famílias que já eram contempladas pelo Bolsa Família.

Mas com a ampliação do público elegível, outras 2,4 milhões de famílias carentes inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) também teriam a chance de serem incluídas no Auxílio Brasil. Hoje, a transferência de renda por meio do programa social é de apenas R$ 217,28, apesar de haver relatos de beneficiários que têm recebido quantias ainda menores. 

Contudo, a aprovação da PEC dos Precatórios vai muito além de abrir o espaço necessário no orçamento da União. Ela tem um papel crucial na campanha do presidente da República, Jair Bolsonaro, tendo em vista que essa é a medida na qual ele se agarra para conseguir cumprir todas as promessas de campanha feitas em 2018 e que ainda estão pendentes. 

Bolsonaro acredita que, se cumprir as promessas de campanha, conquistaria novamente a aprovação do povo brasileiro, tendo mais chances de ser reeleito à presidência no pleito eleitoral que acontecerá no ano que vem. 

Com muito custo, a PEC dos Precatórios foi aprovada na Câmara dos Deputados e, recentemente, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal, única etapa necessária para que o texto fosse encaminhado para o plenário. 

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.