Auxílio alimentar de Curitiba tem crédito de R$ 100 liberado; veja quem pode usar

Em Curitiba, população recebe a última rodada do benefício alimentar. Nessa semana, a Prefeitura municipal deu início a entrega dos últimos cartões do Auxílio Curitiba. A medida foi elaborada na pandemia do novo coronavírus e concede uma ajuda de custo de R$ 100 para os mais vulneráveis. Abaixo, entenda quem tem direito.

Diante do atual cenário de crise econômica, com a inflação em alta afetando o preço da cesta básica, coube as prefeituras e governos estaduais criarem políticas públicas de transferência de renda. Em Curitiba, os mais vulneráveis estão sendo contemplados com um Auxílio Alimentar no valor de R$ 100.

O projeto foi desenvolvido na pandemia e tem como finalidade amenizar os impactos econômicos do novo coronavírus. Cerca de 34,4 mil famílias estão cadastradas e aptas a receber a quantia.

Nós acreditamos que aquilo que compartilhamos com os mais humildes multiplicamos em prosperidade para nossa Curitiba”, afirma o prefeito Rafael Greca, que idealizou o Auxílio Alimentar e determinou o valor maior em dezembro.

Quem pode receber?

Pelas regras do projeto, o benefício é destinado exclusivamente para as famílias vulneráveis inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal e atendidas pelos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) da Prefeitura.

Quem não estiver no CadÚnico, pode ainda ter acesso desde que se vincule ao Cras municipal. No entanto, é válido ressaltar que o período de cadastramento já foi concluído.

Para poder receber o abono é preciso ir até o Armazém da Família e apresentar um documento oficial com foto.

Regras para fazer a retirada do auxílio nos Armazéns da Família

  • As Unidades do programa estão abertas ao público de terça-feira a sexta-feira, das 8h45 às 17h15 horas, e sábado das 8h30 às 13h.
  • Para evitar aglomerações nas dependências das Unidades e filas de entrada, deverá ser respeitado o limite demarcado, estabelecida a distância de 1,5m (um metro e meio) entre as pessoas.
  • Todos os beneficiários que apresentam sintomas de COVID-19 ou que tenham casos confirmados de pessoas próximas deverão ceder documento de identificação para que outra pessoa possa efetuar suas compras, não sendo obrigado que o indicado esteja autorizado no cadastro do titular.
  • Idosos, gestantes, pessoas acompanhadas por crianças de até 12 anos, portadores de necessidades especiais e doenças crônicas, deverão preferencialmente ceder documento com identificação para que outra pessoa possa efetuar suas compras, não necessitando que seu indicado esteja autorizado no cadastro do titular.
  • Fica proibida a entrada de mais de uma pessoa por família ou cadastro para efetuar as compras.
  • É proibida a permanência de pessoas com sintomas de doenças respiratórias, com febre, tosse, coriza em eventuais filas ou no interior dos Armazéns da Família;
  • Obrigatório o uso de máscaras.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.