Sem previsão de carnaval 2022, ambulantes, comércio e hotéis devem se preocupar?

Mesmo com o avanço da campanha de vacinação contra a Covid-19 no Brasil, alguns governos ainda estão receosos quanto à liberação de grandes eventos que reúnam um fluxo intenso de pessoas. A preocupação do momento é o carnaval de 2022, cuja situação ainda não foi definida em várias capitais brasileiras. 

Diante da possibilidade de as festividades não acontecerem no ano que vem, vários comerciantes já começaram a se preocupar. Isso porque, a tradicional festa do momo é uma das datas que mais fomenta a economia do país, especialmente no turismo e comércio local das cidades. 

O número de viajantes de dentro do próprio Brasil e até mesmo do exterior cresce e, por consequência, o setor de turismo, hotelaria, alimentação, bebidas e outros semelhantes sentem os efeitos das festividades.

Neste sentido, profissionais que atuam no carnaval de Salvador se reuniram no último domingo, 21, em uma manifestação no Farol da Barra, se posicionando a favor da festa no ano que vem. 

Faixas, cartazes e vestimentas características da folia puderam ser vistos junto aos manifestantes. As baianas vestidas a rigor reafirmaram a importância do ato em prol do carnaval 2022, proferindo a seguinte frase: “Vacinada e pronta para trabalhar”.

Diante das circunstâncias, o portal FDR reuniu um breve resumo sobre as decisões de cancelamento do carnaval nas principais capitais brasileiras.

São Paulo

A previsão é para que a decisão final sobre a realização do carnaval de São Paulo seja tomada até o final do mês de dezembro. As informações são do secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido.

Ele declarou que a deliberação será baseada no cenário da pandemia até o final deste ano, considerando as infecções, internações e óbitos por Covid-19. 

Em paralelo a isso, o evento continua em fase de preparação e organização. Exemplo disso é a nomeação da CRBS S.A. como patrocinadora oficial do carnaval de São Paulo em 2022, com um investimento de R$ 23 milhões.

A prefeitura ainda recebeu 867 pedidos para desfiles, enquanto os cortejos podem vir a acontecer em 19 e 20 de fevereiro como um pré-carnaval. O carnaval oficial poderá acontecer entre 26 de fevereiro a 1º de março e o pós-carnaval em 5 e 6 de março.

Carnaval de Salvador

Em Salvador, o carnaval mais tradicional do país segue com a situação indefinida. Os governos do estado e do município mantêm os debates sobre a conveniência de realizar ou não o desfile de blocos e trios elétricos. 

De acordo com o prefeito de Salvador, Bruno Reis, caso realmente não seja possível realizar o carnaval em fevereiro do ano que vem em virtude dos altos índices da Covid-19, existe a possibilidade de a festa ser remarcada para uma data posterior. “Tenho fé de que a decisão está próxima de ser tomada e que seja a melhor para a população”, declarou.

Rio de Janeiro

Em contrapartida às demais capitais, o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, assegurou que a pandemia da Covid-19 está controlada na cidade, e que a segurança sanitária possibilita a realização do carnaval 2022. 

O secretário informou que a cidade já atingiu todos os indicadores necessários para a festa, os quais foram listados em um estudo da Fiocruz e da UFRJ. Atualmente, o RJ possui somente 3% dos resultados positivos para Covid-19 do total de testes realizados. A meta é de 5%.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.