13º salário quase na conta: Como usar o dinheiro de forma inteligente

Com a chegada do fim de ano, os brasileiros que possuem direito ao 13º salário já aguardam o recebimento do benefício. Com o 13º salário quase na conta, ou em alguns casos com parte dela já depositado, as podem se preparar para gastar os valores. Entenda como usar esse dinheiro de forma inteligente.

13º salário quase na conta: Como usar o dinheiro de forma inteligente
13º salário quase na conta: Como usar o dinheiro de forma inteligente (Imagem: Montagem/FDR)

No Brasil, nem todas as pessoas sabem como se organizar financeiramente — para manter as contas em dia. Para auxiliar os cidadãos nas finanças pessoais, a NoVerde, plataforma tecnológica de produtos de crédito personalizados, criou algumas dicas para administrar a renda e o dinheiro extra do 13º salário.

13º salário quase na conta: Como usar o dinheiro de forma inteligente

Entre os principais aspectos a serem considerados, estão as compras de final de ano. Para que a pessoa consiga comprar — sem ultrapassar o orçamento —, é recomendável pesquisar os produtos em lojas diferentes.

Segundo uma pesquisa feita pelo Procon, os preços podem variar 90% de um estabelecimento para outro.

No caso de quem está endividado, e não pode gastar, a dica é usar o 13º salário para pagar dívidas. Neste sentido, há a indicação de priorizar as contas de consumo como energia, água e gás.

Outro ponto a ser analisado são as compras pela internet. Ao adquirir produtos virtualmente, em sites confiáveis, pode ser mais vantajoso. De acordo com a NoVerde, os preços podem ser até 30% menores do que em lojas físicas.

Com relação ao empréstimo pessoal, existe a indicação de que a solicitação aconteça em casos de endividamento — ou em situações de emergência. Como exemplo desta última hipótese, estão as cirurgias e reformas da casa ou apartamento.

O pagamento do 13º salário

O 13º salário é um benefício pago aos empregados com carteira assinada. O valor equivale a um mês de salário, se a pessoa trabalhou o ano todo na empresa. No caso de quem não atuou os 12 meses, o pagamento deve ser proporcional ao tempo trabalhado.

Com relação ao pagamento do 13º, se não optou por receber adiantamento do benefício nas férias, as empresas precisam pagar — ao menos — a metade do valor entre 1º de fevereiro e 30 de novembro deste ano. A segunda metade deve ser paga até 20 de dezembro.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.