Matrículas abertas para aprovados no programa CNH Social do Pará

Na última segunda-feira (22), o Departamento de Trânsito do Estado (Detran) do Pará abriu o processo de matrícula para as pessoas classificadas no Programa CNH Social Pai D’égua. As inscrições são para a 1ªhabilitação na categoria B.

Matrículas abertas dos aprovados no programa CNH Social do Pará
Matrículas abertas dos aprovados no programa CNH Social do Pará (Imagem: montagem/FDR)

Os paranaenses aprovados no programa CNH Social Pai D’égua já podem fazer a matrícula. O resultado da classificação, assim como as datas para a matrícula estão disponíveis para consulta no site do Detran-PA.

A consulta pode ser feita usando o número de protocolo adquirido no ato da inscrição no programa CNH Social Pai D’égua. Neste momento, as matrículas são para a primeira habilitação na categoria B.

Essa modalidade permite a condução de veículos de quatro rodas, inclusive os grandes, como minitrucks e furgões. Os candidatos selecionados podem fazer a matrícula até a próxima sexta-feira (26).

Segundo o Detran-PA, só na Região Metropolitana de Belém, mais de duas mil pessoas estão selecionadas para a primeira habilitação na modalidade B. Ao todo, são 10 mil candidatos selecionados para o Programa CNH Social Pai D’égua.

Todos esses candidatos têm até o dia 17 de dezembro para comparecer à sede do Detran, em Belém, ou em uma Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), para realizar a matrícula do programa CNH Social.

O CNH Pai D’égua é um programa do governo do Estado e tem como objetivo ofertar o acesso à Carteira Nacional de Habilitação (CNH), de forma gratuita, a população de baixa renda do estado do Pará.

A ação é realizada pelo Departamento de Trânsito do estado e abrange as categorias de CNH tipo A, B, C, D e E. Os candidatos devem ter idade superior a 18 anos e estar inscritos no Cadastro Único para Programa Social do Governo Federal (CadÚnico).

Além disso, é possível se enquadrar como estudante, desde que tenha entre 18 a 25 anos e que concluiu o ensino médio na rede pública do estado, ou como pessoa com deficiência (PcD).

Ao todo, foram cinco mil vagas disponibilizadas, sendo três mil destinadas à região metropolitana e duas mil vagas para moradores do interior. Desse quantitativo, 30% das vagas foram destinadas a homens e 30% para mulheres que selecionaram a opção estudantil. Por fim, 10% foi destinado ao público PcD.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.