Ibovespa renova pior pontuação de fechamento de 2021; qual o motivo?

No fechamento da sessão desta quinta-feira (18), o Ibovespa registra a menor pontuação em mais de um ano. O índice diminuiu 0,51%, aos 102.426 pontos. Esta foi a quarta queda seguida. O registro recente presenta a pior pontuação desde 6 de novembro de 2020, quando a Bolsa encerrou em 100.925 pontos.

Ibovespa renova pior pontuação de fechamento de 2021; qual o motivo?
Ibovespa renova pior pontuação de fechamento de 2021; qual o motivo? (Imagem: Montagem/FDR)

Durante o dia, o Ibovespa oscilou entre os 103.757 pontos e 102.104 pontos. O volume negociado foi de R$ 20 bilhões, valor foi abaixo da média deste ano, de aproximadamente R$ 23 bilhões.

No dia, houve queda da Vale, dos bancos e das siderúrgicas. As ações da Vale ON fecharam o dia com redução de 4,11%. Na área financeira, Itaú PN caiu 1,66%, Bradesco PN diminuiu 0,96% e Banco do Brasil ON recuou 0,75%. Além disso, Usiminas PNA caiu 5,70%, CSAN ON perdeu 5,35% e Gerdau PN recuou 4,11%.

Na véspera, o Ibovespa já havia registrado a pior pontuação desde 12 de novembro do ano passado. A queda nesta quarta-feira (17) — do principal índice da B3 — foi de 1,39%, aos 102.948 pontos.

Bolsa de Valores para iniciantes: Vantagens e riscos que você precisa saber

Motivo para a pior pontuação de fechamento de 2021 do Ibovespa

O aspecto fiscal segue pressionando os resultados recentes do Ibovespa. O mercado apresenta receio sobre o prolongamento das discussões sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios.

O projeto depende de aprovação do Senado. A PEC prevê que o governo fure o teto de gastos — e dê um calote nas dívidas judiciais da União no ano que vem. A medida tem sido vista pelo governo como uma alternativa para pagar o Auxílio Brasil, de modo a fechar o Orçamento de 2022.

À Folha, a ecomonista-chefe da Veedha Investimentos, Camila Abdelmalack, afirma que a reação negativa não é mais a respeito de um questionamento técnico da proposta, que já foi precificado como negativo. O motivo agora, segundo ela, é por conta do prolongamento do período de incerteza.

O mercado acionário nacional também foi afetado pelo desempenho negativo do setor de commodities. Diante da redução no preço do minério de ferro, siderúrgicas e mineradoras tiveram registros desfavoráveis.

Conforme nota da Ativa Investimentos, essa queda no valor aconteceu por conta da alta dos estoques do produto nos portos da China — devido à baixa demanda do país.

Silvio SuehiroSilvio Suehiro
Silvio Suehiro possui formação em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atualmente, dedica-se à produção de textos para as áreas de economia, finanças e investimentos.
Sair da versão mobile