Crianças e gestantes vão receber bônus em dinheiro no Auxílio Brasil

Novo projeto social do governo concede abonos extras para as famílias de baixa renda. O Auxílio Brasil passará a funcionar a partir do próximo dia 17. As crianças e adolescentes que estiverem vinculadas ao projeto terão o direito de um valor extra que pode chegar até a R$ 300. Abaixo, entenda as regras de concessão, calendário e valor total do benefício.

Crianças e gestantes vão receber bônus em dinheiro no Auxílio Brasil (Imagem: FDR)
Crianças e gestantes vão receber bônus em dinheiro no Auxílio Brasil (Imagem: FDR)

O Auxílio Brasil irá iniciar seu pagamento. Na próxima semana, o ministério da cidadania começará a fazer os repasses para os segurados que estiverem com os dados vinculados no Cadastro Único.

Segundo informes oficiais, as crianças e adolescentes deverão ser contempladas com uma extensão do programa, chamada de Auxílio Criança Cidadã, com um valor de R$ 300.

Quais os valores e benefícios do Auxílio Brasil

Para o mês de novembro, o governo Bolsonaro prevê uma mensalidade máxima de até R$ 200 por cadastro. No entanto, inicialmente o projeto surgiu como uma promessa de pagamento de R$ 400.

Segundo o chefe de estado, o corte de 50% foi aplicado mediante atuais dificuldades orçamentárias da União.

Dentro da mensalidade acima haverá a concessão dos seguintes benefícios:

Benefício Primeira Infância: famílias com crianças de até 3 anos recebem o valor de R$ 130.

Benefício de  Superação da Extrema Pobreza: jovens de 18 a 21 anos incompletos recebem R$ 65, o intuito é o incentivo para que os jovens concluam a escolarização.

Benefício Composição Familiar: para famílias que tenham gestantes, ou pessoas de 3 a 17 anos de idade, ou de 18 a 21 anos matriculados na educação básica. O valor do benefício será de R$ 65 por pessoa, no limite de até cinco benefícios por família.

Auxílio Esporte Escolar: estudantes de 12 a 17 anos incompletos que se destacam em competições oficiais do sistema de jogos escolares brasileiros e que são de famílias beneficiárias do Auxílio Brasil recebem parcela única de R$ 1 mil ou R$ 100 mensais.

Bolsa de Iniciação Científica Júnior: para estudantes com bom desempenho em competições acadêmicas. O valor é de 12 parcelas mensais de R$ 100 ou R$ 1 mil em parcela única.

Auxílio Criança Cidadã: para o responsável de criança de até 4 anos incompletos que tenha fonte de renda, mas não consiga vaga em creches públicas ou de rede conveniada. O valor é de R$ 200 para crianças matriculadas em período parcial e R$ 300 em período integral.

Auxílio Inclusão Produtiva Rural: destinado para agricultores familiares inscritos no CadÚnico. Valor recebido deve ser de R$ 200.

Auxílio Inclusão Produtiva Urbana: destinado para quem comprovar vínculo de emprego formal. Valor recebido deve ser de R$ 200.

Regra de Emancipação: para beneficiários que tiveram aumento de renda per capita ultrapassando o limite para a inclusão no auxílio, estes serão mantidos na folha de pagamento por mais 24 meses.

Regras de aceso aos abonos extras

Para poder ter acesso aos complementos de renda, o governo aplicará uma série de regras. Isso implica dizer que as crianças e adolescentes só terão direito ao valor mencionado caso cumpram os seguintes requisitos:

  • Crianças e adolescentes com idade escolar (entre 6 e 15 anos) devem ter, no mínimo, 85% de presença nas aulas;
  • Os jovens entre 16 e 17 anos, a frequência mínima exigida é de 75%;
  • Crianças menores de 7 anos precisam estar com as vacinas em dia e devem comparecer ao posto de saúde para realizar o monitoramento e o acompanhamento do crescimento;
  • Gestantes devem comparecer às consultas de pré-natal e participar de atividades educativas ofertadas pelo Ministério da Saúde sobre aleitamento materno e alimentação saudável;
  • Acompanhamento de saúde das mulheres que possuem 14 a 44 anos de idade.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.