Nova imobiliária chinesa ameaça mercado financeiro com queda nas ações

Na última sexta-feira (5), as principais bolsas da Ásia fecharam em baixa, em meio a preocupações com o setor imobiliário da China. Após a Evergrande, uma nova imobiliária chinesaKaisa Group — passou a apresentar dificuldade em cumprir os pagamentos.

O Kaisa Group anunciou que não conseguirá pagar uma parcela da dívida de 12,7 bilhões de yuans em produtos de gestão de fortunas. Este valor equivale a US$ 2 bilhões. Diante disso, o mercado financeiro reagiu negativamente.

Em Hong Kong, durante o pregão, as ações da empresa tiveram queda acima de 15%. Este foi o menor patamar histórico. Com isso, as negociações com os papéis da empresa foram suspensas na bolsa britânica. Essa ação aconteceu após solicitação do próprio grupo imobiliário.

No fim da sessão regular, o índice Hang Seng recuou 1,41% — pressionado por ações de incorporadoras da China como a Evergrande (-2,54%). O Xangai Composto caiu 1,00%. Já o menos abrangente, Shenzhen Composto, teve queda de 0,77%.

No Japão, o Nikkei apresentou diminuição de 0,61% em Tóquio. O sul-coreano Kospi registrou queda de 0,47% em Seuol. Em Taiwam, o Taiex foi uma exceção, com alta de 1,28%.

Nova imobiliária chinesa ameaça o mercado financeiro

Na última quinta-feira (4), em comunicado, o Kaisa Group declarou que diversos fatores desfavoráveis — como a forte desaceleração do mercado imobiliário e o rebaixamento na avaliação pelas agências internacionais de classificação de risco — causaram uma pressão inédita na liquidez da companhia.

Na semana anterior, as agências S&P e Fitch já tinham rebaixado a avaliação do Kaisa Group. A Fitch diminuiu a nota da companhia informando um possível “acesso limitado” a crédito.

O setor imobiliário representa 25% da riqueza da China. Recentemente, esta área do país vem apresentando dificuldades.

Depois de anos de fortes dívidas, as autoridades indicam o desejo de controlar. As ações tomadas por Pequim — para controlar as dívidas das companhias — pioraram os problemas.

Em outubro, a Evergrande havia informado que retomaria dezenas de projetos em cidades da China. O anúncio ocorreu após a companhia pagar US$ 83,5 milhões em juros de um débito com credores internacionais na semana passada. Com isso, foi evitado um calote por parte da empresa.

Tanto a Evergrande quanto a Kaisa são grandes emissores de bônus no mercado exterior.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.