Não conseguiu devolver o auxílio emergencial? Site fica instável e prejudica cidadãos

O site criado pelo governo para que os cidadãos devolvem o auxílio emergencial que foi recebido indevidamente, está fora do ar há quase um mês. A página se encontra em manutenção.

Não conseguiu devolver o auxílio emergencial? Site fica instável e prejudica cidadãos
Não conseguiu devolver o auxílio emergencial? Site fica instável e prejudica cidadãos (Foto: FDR)

O governo emitiu o aviso para 627 mil pessoas devolverem o dinheiro no dia 5 de outubro, dois dias após, ou seja, em 7 de outubro, o site saiu do ar e se encontra assim até hoje.

Aqueles que não conseguirem devolver o dinheiro podem ter o seu nome inscrito em dívida ativa e isso preocupa os cidadãos. 

Em resposta ao R7.com, o Ministério da Cidadania informou que o número de acessos depois da notificação das devoluções foram altos e isso fez com que o sistema se tornasse instável. Porém, o site deveria voltar a funcionar a “qualquer momento”.

Emissão de GRU

Essa falha não permite a emissão da Guia de Recolhimento da União (GRU), que precisa ser gerada para os cidadãos conseguirem realizar o pagamento nos bancos.

Quem precisa realizar a devolução?

Essa devolução deve ser feita por aqueles que não se enquadram nos critérios de elegibilidade do auxílio emergencial. Entre eles estão:

  • Quem estava recebendo benefícios do governo federal, como aposentadoria, seguro-desemprego ou Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda;
  • Quem tinha carteira assinada na data de requerimento do auxílio emergencial;
  • Trabalhadores que ao declararem o IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) geraram Darf para restituição de parcelas do auxílio emergencial, mas ainda não efetuaram o pagamento;
  • Pessoas identificadas com renda incompatível com o recebimento.

Como devolver o auxílio emergencial

Para devolver é preciso acessar o site, inserir o CPF cadastrado no auxílio e clicar na opção “Emitir GRU”. 

Assim, o sistema gera uma Guia de Recolhimento da União (GRU), que poderá ser paga nos bancos.

Auxílio Emergencial

O auxílio foi criado na pandemia como forma de ajudar os brasileiros que foram afetados, sendo demitidos de seus empregos, autônomos, que precisaram interromper as suas atividades por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Inicialmente, seriam pagas apenas cinco parcelas e o valor seria de acordo com a composição familiar. Porém, por conta do recrudescimento da pandemia, o governo definiu que iria realizar o pagamento por mais dois meses, ou seja, até outubro de 2021.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.