Caged atualiza dados e vagas de emprego em 2020 foram menores que as divulgadas

Os dados de uma recente publicação do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) chamaram a atenção do Ministério do Trabalho e Previdência. Desta forma, a pasta resolveu fazer uma revisão dos dados divulgados sobre a quantidade de vagas de emprego formais criadas no Brasil em 2020. 

Caged atualiza dados e vagas de emprego em 2020 foram menores que as divulgadas
Caged atualiza dados e vagas de emprego em 2020 foram menores que as divulgadas. (Imagem: FDR)

Desta forma, foi possível identificar um erro no levantamento do Caged, pois na realidade o número de vagas de emprego com carteira assinada no ano passado foi quase o dobro dos dados da divulgação.

Em janeiro deste ano, o Governo Federal anunciou que o Brasil conseguiu gerar 142.690 postos de trabalho formais durante todo o ano passado. 

Na época, os dados foram comemorados pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, ao declarar que se trata de um resultado positivo em meio à queda do Produto Interno Bruto (PIB) para 4,5%.

Porém, de acordo com a revisão, foram criadas 75.883 vagas de emprego, o equivalente a uma queda de 46,81% em comparação à divulgada em janeiro deste ano. 

Esta revisão foi feita pelo Ministério do Trabalho e da Previdência, e recriada no mês de julho deste ano, se tratando de uma diferença para menor de 73%. Um dos fatores que pode influenciar nessa divergência pode estar relacionado à demora das empresas em repassar as informações sobre novos vínculos ou rompimentos empregatícios ao Governo Federal.

Desde o mês de janeiro de 2020, os dados mensais são revistos periodicamente e, em boa parte das vezes, indicam um cenário negativo. No apanhado de 20 meses com atualizações, foram identificadas perdas de postos de trabalho em 15 desses meses. 

A maior distinção, se tratando de percentuais, foi registrada no mês de junho de 2020, quando os rompimentos de vínculos empregatícios aumentaram em 177%, o correspondente a 30.448. No entanto, no mês de abril do ano passado, o Governo Federal não informou sobre a demissão de 103.200 pessoas, dados estes que foram atualizados posteriormente. 

No acumulado do ano o Caged registrou a consolidação de 2.512.937 vagas de emprego, mas ao analisar os boletins mensais, o número real deveria ter sido 2.559.594.

Na oportunidade, o Ministério do Trabalho e Previdência explicou que esta diferença reflete a mudança no resultado bruto das demissões e contratações, as quais ficaram em 3,6% e 1,8%, respectivamente. 

“Tradicionalmente, os dados do Caged podem ser atualizados até 12 meses após a data de realização da movimentação (admissão ou demissão). A entrada de dados fora do prazo acontece quando as empresas declaram as informações de admissão e demissão após a competência em que a movimentação se realizou”, explicou a pasta.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.