Cabeleireiro, manicure e outras profissões que recebem benefícios do INSS sem CLT

Trabalhadores autônomos têm direito à aposentadoria de forma específica. Com a pandemia do novo coronavírus, cresceram os índices de cidadãos que estão trabalhando fora do regime CLT. Atividades como cabeleireiro, manicure, entregador de app, entre outras, podem ser garantidas pelo INSS por meio da contribuição individual.

Cabelereiro, manicure e outros que recebem benefícios do INSS sem CLT (Imagem: FDR)
Cabelereiro, manicure e outros que recebem benefícios do INSS sem CLT (Imagem: FDR)

A contribuição individual do INSS nada mais é do que um tipo especifico de repasse que pode ser feito pelo cidadão que não está de carteira assinada.

Ela garante que ele se mantenha dentro da folha orçamentária da previdência, podendo liberar a aposentadoria a depender de todo o valor repassado.

Quem pode fazer a contribuição individual do INSS?

De modo geral, esse tipo de pagamento previdenciário é destinado para:

  • Empregados domésticos;
  • Trabalhadores avulsos;
  • Contribuintes individuais;
  • Trabalhadores rurais.

Isso significa dizer que qualquer sujeito que atue de forma autônoma, sem estar vinculado a demais programas como o MEI ou o Simples Nacional, pode fazer esse tipo de contribuição.

Principais vantagens da contribuição individual

Quem passa a fazer seu próprio pagamento para o INSS têm direito aos seguintes abonos:

  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Aposentadoria por idade e invalidez;
  • Pensão por morte;
  • Auxílio-doença;
  • Auxílio-acidente;
  • Auxílio-reclusão;
  • Salário maternidade;
  • Salário família;
  • Reabilitação profissional.

Valor pago

Para poder fazer o pagamento é preciso levar em consideração a renda mensal e o tipo de recolhimento. Há quem deseje repassar 20% do valor recebido, já outros pagam apenas 11%.

Tudo depende de acordo com a quantia que entra mensalmente na conta do segurado. Para simular os repasses basta acessar nossa calculadora previdenciária.

Como contribuir individualmente

O primeiro passo é entrar no Meu INSS e acessar o portal de contribuições. Por meio dele, basta você escolher o tipo de repasse que deseja e passar a gerar as guias mensais de pagamento.

É válido ressaltar que o contribuinte individual tem o direito de trocar de modalidade previdenciária caso passe a atuar de carteira assinada. Nessa situação, o valor repassado permanece contabilizado pelo INSS para garantir a concessão da aposentadoria.

Para mais informações sobre os tipos de contribuições previdenciárias acesse nossa página exclusiva do INSS.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.