Nubank fará IPO duplo nos EUA e na B3; Entenda

Nesta quarta-feira (27), o Nubank anunciou pedido confidencial de registro preliminar de sua Oferta Pública Inicial (IPO). Um dos IPOs mais esperados pelo mercado financeiro acontecerá simultaneamente em uma bolsa dos Estados Unidos e na B3.

A controladora do Nubank, Nu Holdings, entrou com solicitação para uma oferta de recibos de ações — os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) — na Comissão de Valores Imobiliários (CVM). Os papéis serão vendidos por meio da B3 — a Bolsa de Valores oficial do Brasil — que representam aqui as ações lançadas no exterior.

Além disso, o banco digital deu início aos protocolos para emitir ações na Securities and Exchange Commision (SEC). Este órgão regula o mercado de capitais dos Estados Unidos.

Estes processos acontecem de forma confidencial. Sendo assim, não há outras informações para serem consultadas. Segundo comunicado do Nubank, o registro local inclui três tipos de operação:

  • Registro e listagem de emissor estrangeiro categoria “A”;
  • Registro e admissão à negociação de programa de BDRs patrocinado, de nível III;
  • Registro de oferta pública inicial de distribuição de BDRs representando ações ordinárias classe A (com direito a voto) de emissão da Companhia.

Conforme apurado pelo Estadão, o IPO do Nubank nos Estados Unidos pode acontecer ainda neste ano — no final de novembro ou início de dezembro. A movimentação deve ser de aproximadamente US$ 3 bilhões a US$ 4 bilhões.

Nubank informa que o documento não constitui uma oferta de venda

De acordo com o Nubank, este informativo não constitui uma oferta de venda — ou um pedido de compra de títulos e valores mobiliários no Brasil, Estados Unidos ou em qualquer outra jurisdição.

A fintech alega que qualquer oferta ou solicitação para oferta de aquisição de valores mobiliários somente será realizada por meio de um prospecto definitivo.

No início de outubro, o Nubank reportou que teve lucro em suas operações no Brasil. No primeiro semestre, o ganho foi de R$ 76 milhões. O resultado representa o primeiro saldo positivo da história.

Este registro aconteceu após obter mais clientes para o seu cartão de crédito. Ao considerar o mesmo período de 2020, o banco digital tinha registrado perda de R$ 95 milhões.

Na primeira metade deste ano, o Nubank registrou 41 milhões de clientes. Em relação ao final do ano passado, houve uma alta de 25%. Em 12 meses, o aumento foi de 60%.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.